sexta-feira, 31 de julho de 2009

Por que tenho um blog...


Por que tenho um blog?
Essa foi a pergunta feita pela Vanessa do blog Fio de Ariadne.
Sempre com ótimas ideias, essa é mais uma iniciativa que virou uma blogagem coletiva sem data para ocorrer e que acontece devido a um comentário de uma leitora. Bem, vamos lá!
Eu criei um perfil no Blogger em setembro de 2007. Inicialmente, foi apenas uma curiosidade acerca de mais um serviço da Google. Tudo que se diz respeito à internet me interessa, pois sou da época do acesso gratuito por 3 meses via CD-Rom nas revistas CD-Rom Fácil, dentre outras do gênero.Lá dos idos do Bol como único provedor gratuito e do acesso discado.
Deixei o perfil lá, inativo por ainda não entender muito bem a dinâmica do blogger.
Foi somente em fevereiro de 2008 que escrevi meu primeiro post. A minha relação com a escrita vem da década de 90, quando iniciei correspondências via correio, isso mesmo, cartas de papel com selo e tudo.
Até hoje tenho correspondentes, poucos mas sinceros e presentes, verdadeiros amigos.
Da primeira postagem até hoje já aprendi a manejar as ferramentas básicas, ainda não mudei o template, mas sempre me esforço para deixar o espaço agradável, sereno e receptivo.
Através do blog já conheci a madrasta má pessoalmente, converso com outros blogueiros pela internet e mais uma infinidade de outras pessoas queridas.
Leio vários blogs, conheço outros pontos de vista, participo de blogagens coletivas, campanhas e respondo a memes/selos.
Essa interação é muito interessante quando encontramos pessoas sinceras e amigas.
Escrever pra mim é uma terapia, diversão e compartilhamento.
É por isso que eu tenho um blog.

E você? por que tem um blog?
Participe da iniciativa do Fio de Ariadne e conte pra todo mundo!



segunda-feira, 27 de julho de 2009

Refletindo...



"Todos os homens estão presos numa teia inescapável de mutualidade; entrelaçados num único tecido do destino. O que quer que afete a um diretamente, afeta a todos indiretamente".

Martin Luther King Jr.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Memes e selos...


Bom, vou postar logo o que recebi essa semana, senão acumula e eu esqueço....



Esse primeiro selo/meme recebi da Nade do Orgulho de Ser

As regras são:


- Publicar o selinho e indicar quem o re
passou! (o selo já está aí, vamos às perguntas)

Respostas:


1. Você é casada?
Não.
2. Tem quantos filhos?
Também não!
3. Fuma?
Não.
4. Bebe?
Não, sou careta hehe
5. Tem compulsão por algum tipo de comida?
Gosto de massas.
6. Prefere frio ou calor?
Meio termo, nem muito calor e nem muito frio.
7. Prefere doce ou salgado?
Gosto mais de salgado
8. Qual
sua profissão? Bibliotecária
9. Último filme que você viu?
Operação Walquíria com o sempre talentoso Tom Cruise
10. Qual foi o dia mais feliz da sua vida?
O dia que vi meu nome na lista dos aprovados no vestibular.

- Indicar 05 blogueiras para receber o selo e avisá-las.


Eu escolho as seguintes:


*
A Madrasta Má
*Wânia
*
Gisele Amaral
*Katy
*
Helinha






Vamos às regras:

1. Colocar no post o nome do blog que te indicou ao Prêmio:

Lu


2. Escrever uma mensagem de agradecimento ao blogueiro que te indicou:

Lu, obrigada pela lembrança e dedicação. Amizade recente mas espero que perdure.

3. Escrever cinco características minhas:

* Amiga
* Companheira
*Sincera
* Esforçada
* Inteligente

4. E por fim, os blogs que acompanham e merecem!

Não vou citar todos pois são muitos, mas os amigos se reconhecerão.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Qual a força do amor?

André & Dorine



Qual é a força de um amor verdadeiro?Ele pode ultrapassar barreiras, vencer toda a sorte de tempestades e resistir bravamente?
Em "Carta a D. - História de um amor", escrito por André Gorz, testunhamos o mais belo dos sentimentos humanos: o amor.
O livro é uma homenagem a Dorine, sua esposa, com a qual viveu durante 58 anos. Essa história verídica que chega até nós, mostra a força e determinação, o companheirismo e a luta desse casal. As primeiras frases do livro já nos anuncia a beleza desse relacionamento:

"Você está para fazer oitenta e dois anos. Encolheu seis centímetros, não pesa mais que quarenta e cinco quilos e continua bela, graciosa e desejável. Já faz cinquenta e oito anos que vivemos juntos, e eu amo você mais do que nunca.De novo, carrego no fundo do meu peito um vazio devorador que somente o calor do seu corpo contra o meu é capaz de preencher." p.13

Atualmente, os relacionamentos estão cada vez mais efêmeros, se perdem na fulgacidade do tempo. A beleza física é o que importa, ser fiel é sinônimo de caretice, porém, penso que é covardia.
Se não tem a intenção de viver com a pessoa a priori escolhida, seja sincero e honesto consigo e com seu par: se separe e vá viver sua vida. É mais humano e verdadeiro do que a hipocrisia de um relacionamento em que um dos dois necessita de estar com outras pessoas para se sentir "feliz".
Não faço apologia a nada, cada qual sabe de si, de seus limites, das "suas verdades", enfim, da sua vida. Construí apenas um ponto de vista e uma reflexão após a leitura desse texto tão belo e que aconselho a todos que quiserem e puderem ler.

Ler para conhecer, avaliar, refletir, sempre livre de quaisquer preconceitos.
Informações sobre a obra você encontra aqui e sobre o autor aqui.

Boa leitura!

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Desatino...

A vida no desatino,
Sem razão,
Sem emoção,
Repleta de decepção!

A vida no desatino,
Saltitante,
Estonteante,
Repleta de alegria constante!


A vida no desatino,
Emocionada,
Determinada,
Repleta de quase-tudo e de quase-nada!

A vida no desatino,
Alegre,
Triste,
Repleta de fulgacidade!


Por Tempestade

terça-feira, 21 de julho de 2009

Meu coração...



Meu coração anda apertado,
Angustiado, descompassado.
Sente falta daquele calor,
Daquela alegria,
Do saltitar emocionado!

Meu coração anda com dúvidas,
Incertezas, decepções,
Sente falta daquele carinho,

Daquele afago,

Do palpitar apaixonado!


Meu coração anda sem razão,
Sem caminho, desavisado,
Sente falta daquele rumo,
Daquele sorriso,
Do bater compromissado!


Por Letícia Alves
Em 21/07/09
às 1:06 h

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Amizade - Republicação



Falar de amizade é falar de companheirismo,
De olho no olho,
De ombro quando estamos bem ou mal,
De telefonemas em horários “inapropriados”,
De risada despretensiosa,
De conselho fora de hora.


De abraço apertado,
De beijo doce,
De mãos cúmplices.
De verdades ditas.
De brigas por que se ama.
Da imensidão do ser humano.


Falar de amizade é,
Esperar o momento de ouvir,
O momento de falar.
O momento de simplesmente abraçar em silêncio.
De contemplar as estrelas juntos.
Contar as gafes cometidas,
O segredo a ninguém confiado.

Enfim, a amizade sempre será muito mais que sete letras e um verbete no dicionário!


Beijos Tempestuosos!

Dedico esse texto a todos os meus amigos!

Feliz dia do amigo!


domingo, 19 de julho de 2009

Olhar infinito...



Frio,
Céu nublado,
Folhas que caem!
Ventos que sopram!

Coração inquieto,
Mãos entrelaçadas,
Respiração descompassada!

Olhar infinito,
Linha perdida no horizonte,
Tempo a passar!

Desejos passados,
Sonhos desfeitos,
Vazios, tristezas, lágrimas!

Que chegue depressa o nascer do sol!

sexta-feira, 17 de julho de 2009

O amor...



O amor é algo assim: inexplicavél, mas forte, necessário!
Inunda o nosso ser e não sabemos mais viver sem ele.
Não importa a quem ou a que amamos, é inerente ao ser humano.
Quem não ama não vive!

Por Tempestade e Letícia Alves

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Um pedaço de papel...



Ela o amou no primeiro instante que o viu. Aqueles cabelos pretos tão bem penteados, os olhos castanhos tão vivos e intensos que a olhavam tão ternamente. Naquele momento, ela era apenas uma garota, ainda deslumbrada com o amor, com a conquista. E aquele dia foi inesquecível.Um pedaço de papel, um telefone e a promessa de ouvir novamente aquela voz no fim de semana seguinte.
Ele trabalhava muito, tinha plantões, viajava para as fronteiras tão extensas do Brasil, ficava dias e dias sem comunicação, lá no meio da Floresta Amazônica. Mas quando voltava à cidade, o telefonema era certo, as palavras escolhidas, o sorriso franco e o coração alegre. Ela esperava ansiosamente por esse momento. Até que um dia ele mandou a primeira de uma série de cartas lá da fronteira, como nos filmes de guerra, em que a mocinha aguarda ansiosamente por notícias. Era um época complexa, o Brasil vigiando suas fronteiras para que colombianos e bolivianos não invadissem e iniciassem um tráfico de armas, drogas e toda sorte de coisas ilegais. Uma época romanceada em que as Forças Armadas Brasileiras estavam a serviço da Nação. E a primeira carta que ele enviou não chegou às suas mãos. Meses se passaram sem notícias.
Um dia se reencontraram, ele passou por ela e não a olhou, sem entender ela o procurou e ele perguntou: "Não leste minhas cartas quando eu estava na fronteira?", "Nunca me respondeu". E ela respondeu: "Não recebi nada". Um silêncio se instalou entre os dois, ele simplesmente se foi e a deixou ali, estática sem saber o que fazer e pensar.
Até que em uma manhã de sol, seus pais entregaram as cartas à ela, mas já era tarde...
Ávida por saber o que ali estava escrito, correu para o quarto e sentada na cama abriu o envelope e rapidamente lia cada linha, e na mesma velocidade, lágrimas começaram a pender dos seus olhos. Olhos castanhos como os dele, porém, os dela já não estavam mais vivos e ternos. Nas cartas ele dizia ter saudades, dizia que ela era uma moça especial e que ao voltar da fronteira conversariam. Com o coração apertado, ela foi até seus pais e perguntou o motivo de terem escondido aquelas cartas. Houve um silêncio e nenhuma resposta.
Dias depois, ela teve uma resposta. Seus pais não queriam que ela se envolvesse com aquele rapaz.
Os anos passaram sem que ambos se vissem, que seus olhares se cruzassem...
Até se reencontrarem tempos depois, após longos anos, e se tornarem "amigos". Cada um já tinha vivido outras histórias, altos e baixos, alegrias e tristezas. Tornaram-se cúmplices nas dores de amor, de família, na conquista de objetivos e tantas outras situações partilhadas.
Muitos anos se passaram, precisamente, 18 anos, e eles continuam juntos nessa amizade e cumplicidade que jamais esperavam.
Mas eles sempre se lembram daquele dia em que seus olhares se cruzaram e aquele pedaço de papel com um telefone anotado foi o início de tudo...


quarta-feira, 15 de julho de 2009

Ciclos...



O tema é livre?
Nós somos livres?
Não vou discutir, pois é uma questão muito ampla e decerto polêmica. Envolveria livre arbítrio e outras ações inerentes e talvez pertinentes ao ser humano.
Prefiro escrever sobre minha experiência com as tertúlias.
A tertúlia segundo definição do dicionário é uma reunião de amigos, familiares ou simplesmente os freqüentadores do lugar que se reúnem de forma mais ou menos regular para discutir diversos temas e assuntos.
Nas tertúlias virtuais mensais não tínhamos discussões no mais ardor da palavra, mas confraternizações, leituras tão interessantes e gratificantes. Assim pude conhecer outros blogs, fazer amigos e me aventurar nos pontos de vistas sobre o mesmo assunto. Passear pelo Brasil afora e em Portugal também, de onde surgiu essa idéia maravilhosa. Essa é minha quarta e última tertúlia (?), não! Pois eu penso que é apenas um ciclo que se fecha e que outros virão. Vamos bater o recorde? Sim. Mas o que sempre ficará serão os amigos que fizemos as leituras que nos encantaram e encheram os olhos, e tudo o que houve de melhor nessa etapa que se encerra para dar lugar à outra.
Não concordo com o fim, apenas com um novo percurso que vai se iniciar, com novos textos, novas participações, novos temas e tudo novo de novo.
Pois não me vejo sem saber qual é “O MELHOR LUGAR DO MUNDO”, beber “ÁGUA”, compartilhar “SOLIDARIEDADE”.
“VOAR” sem destino ou em direção aos “MEUS ÍDOLOS” no “BRASIL” ou em qualquer lugar. O “FOGO” do “DESEJO” não pode apagar, mesmo indo pra uma “ILHA DESERTA” que não é “ O LUGAR QUE TE FAZ SENTIR EM CASA” comemorar o “PRIMEIRO ANIVERSÁRIO” DE CASAMENTO.

Então que venham as próximas tertúlias.


*Esse post faz parte da Tertúlia Virtual.TERTÚLIA VIRTUAL criado por Jorge Pinheiro (Expresso da Linha) e Eduardo P.L. (Varal de Idéias), reúne nesta CENTRAL DE RELACIONAMENTO as inscrições (nome e link) dos participantes das TERTÚLIAS todos os dias 15 do mês.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Quero...




Quero um amor,
Que me dê carinho,
Que fale baixinho,
Em meu coração!



Quero um amor,
Que me carregue no colo,
Que ouça o que falo,
Que me dê a mão!

Quero um amor,
Que transponha barreiras,
Que seja companheiro,
E ande de mãos dadas!

Quero um amor,
Que me diga que estou errada,
Que me mostre um caminho,
E que não me deixe sozinha!

Quero um amor,
Que ame a lua,
Que beije com ternura,
E me possua com paixão!

Quero um amor,
Pra chamar de meu,
E que seja seu,
Para que se torne nós!

Escrito por Letícia Alves
Em 14/07/09
Às 00:30 h

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Aonde vais...


"Aonde vais, vento? Para longe, para longe.
Além das chuvas, além dos limites do mundo.
Leva-me contigo, vento, bem alto no céu."

Richard Adams em "A longa jornada"

Epígrafe do Conto "Linha Noturna" de autoria do João Batista Melo no livro "O colecionador de sombras"

sábado, 11 de julho de 2009

Sem pressa...



"Não tínhamos pressa. Eu despi o seu corpo com cautela. Descobri, miraculosa coincidência do real com o imaginário, a Vênus de Milo tornada carne. O brilho nacarado do pescoço iluminava o seu rosto. Mudo, contemplei longamente esse milagre de vigor e de doçura. Compreendi com você que o prazer não é algo que se tome ou se dê. Ele é um jeito de dar-se e de pedir ao outro a doação de si. Nós nos doamos inteiramente um ao outro."


Trecho extraído de "Carta a D. - História de um amor" - André Gorz

As férias na minha terra...



Em mais uma participação em blogagens coletivas, dessa vez no blog Aldeia da Minha Vida, d'além mar da mais nova amiga Susana.
A proposta foi a de realizar um post com um texto de até 10 linhas e uma foto falando sobre As Férias na minha terra.
Eu estou participando e concorrendo com esse post aqui.
Para votar em mim, é só clicar nesse link e votar no meu post na enquete aberta lá no Aldeida da Minha Vida. A votação vai até dia 31 de Julho. E o melhor, ganha quem fez o post e também haverá prêmio para o melhor comentário.
Então peço o voto dos amigos e seguidores.

Obrigada!


quinta-feira, 9 de julho de 2009

Apesar .... do medo...



Relembrando uma reportagem que foi capa da revista Vida Simples de Abril desse ano que tinha na capa a seguinte chamada "Espante o medo". A reportagem traz os 5 maiores medos de nossa época:

1) Medo do fracasso;
2) Medo dos outros;
3) Medo de crescer;
4) Medo de mudança e,
5) Medo do futuro.

Em algum momento de nossas vidas passamos por esses tipos de temores, em maior ou menor grau, dependendo do modo como cada pessoa reage a eles. Em tempos modernos, o medo do fracasso e o medo do futuro tem sido os vilões que roubam noites de sono e trazem outras patologias físicas.Claro que os outros tipos de temores são relevantes, sendo que o medo dos outros é muito grave também. Falta confiança, e onde falta isso, vai faltar o respeito, a amizade e todas as nuances de uma relação pessoal.

Então é pertinente pararmos um pouquinho e pensarmos: "Por que tenho medo?", "O que posso fazer para enfrentá-lo de forma que ele não me derrote?".

Como foi dito na reportagem e eu concordo, a palavra-chave é: Esperança.

Se hoje não deu certo, amanhã vai dar, pois mudarei de tática. Medo de mudar? se eu não experimentar o novo não saberei se tinha uma oportunidade a minha espera. Medo de crescer? Sim, às vezes dá medo ter ou ser aquilo que você sempre sonhou, mas se você não der o passo, como saber? Medo do futuro? Não é necessário, pois é um lugar que ainda nem existe.

Vamos tentar e investir na exclusão do medo em nossas vidas e assim teremos uma vida mais plena mesmo nesse mundo tão conturbado.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Provérbios?



Ditados populares, pensamentos ou provérbios como são conhecidos sempre nos fazem pensar ou no mínimo dar risadas quando são engraçados. No Brasil há vários ditados, diríamos nem brasileiros, mas regionais devido à nossa extensão territorial. Em outros países também há!Estudando para uma prova final do curso de francês, me deparei com alguns, digamos pensamentos/frases/provérbios de autores célebres que tem como temática o passado (sim, vou fazer uma prova com os tempos passados do francês, e digo, não é nada fácil por não ter alguns tempos verbais correspondentes no português).

Então vamos lá, no original e com sua respectiva tradução:

"Il ne faut pas remettre au lendemain ce qu'on peut faire le jour même." (Provérbio francês)

Aqui no Brasil corresponderia: "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje." Até na França se pensa no bom uso do tempo rs...

"Il faut donner du temps au temps." (Miguel Cervantès) - Essa era uma das frases preferidas do presidente francês François Mitterrand.

Em bom português: "Dê tempo ao tempo."

Outra interessante é: "Il ne faut pas vendre la peau de l'ours avant de l'avoir tué." (Provérbio, de acordo com La Fontaine), esse seria "Não venda a pele de alguém antes de matá-lo", meio bizarro rs..

E por fim a que considerei hilária "L'homme est fait pour attendre et la femme pour être attendue." (G. de Rohan-Chabout), "O homem foi feito para esperar e a mulher para ser esperada."

Achei muito hilário e interessante! E vocês? Gostam de provérbios e ditados populares?

terça-feira, 7 de julho de 2009

Solidão?




"Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite."


Clarice Lispector

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Um Belo Horizonte....

Vista parcial de Belo Horizonte - MG


Um Belo Horizonte marca as montanhas de Minas Gerais,
Terra abençoada em um país exuberante: o Brasil.
Ainda há praças e jardins que guardam belezas exuberantes da vegetação local.
Boa comida, diversão, gente bonita, esse é o cenário perfeito para suas férias, sejam as de verão ou de inverno. Quem não conhece vale a pena visitar.
E nessa linha do horizonte eu espero por vocês!
Venham!


*esse post faz parte da Blogagem Coletiva "As férias na minha terra", iniciativa da Susana do blog Aldeia da Minha Vida.

domingo, 5 de julho de 2009

Vivendo intensamente....


Edith Piaf


A cada filme que vejo e um livro que leio, além, de ser entretenimento procuro mergulhar na história, nas descrições e sempre trago comigo alguma lição, uma reflexão. Em tempos atuais de efemeridade das relações e da velocidade imposta por um mundo que se diz moderno, mas ainda é alvo e cai aos pés de doenças muito antigas que poderiam ter sido erradicadas da face da Terra há anos, também tem se falado na intensidade dos sentimentos, sejam eles, positivos ou negativos.
Depois de ter visto "Piaf - Um hino ao amor", realmente temos a sensação da efemeridade da vida, mas tem-se em contrapartida a visão de que é necessário viver intensamente. Piaf viveu cada segundo de sua breve vida intensamente, com altos e baixos, alegrias imensas e também tristezas profundas, foi uma mulher que vencendo as adversidades impostas em sua existência, soube mesmo bem ou mal viver cada emoção com intensidade. Seus amores, amizades, a música e também suas tristezas profundas constituíram esse ser humano que se foi muito jovem, mas deixou um legado artístico além das fronteiras da França. Não é preciso saber francês para ser tocado pela sua voz e suas canções.
Precisamos viver cada segundo intensamente, nossa vida toda, não sabemos quanto tempo temos, então, enquanto estamos aqui vamos ser intensos e verdadeiros em nossas emoções.

Para que não lamentemos nada como foi dito em "Je ne regrette rien" .....



Je ne regrette rien (tradução)
Composição: Michel Vaucaire/Charles Dumont

Não! Nada de nada...
Não! Eu não lamento nada...
Nem o bem que me fizeram
Nem o mal - isso tudo me é igual!

Não, nada de nada...
Não! Eu não lamento nada...
Está pago, varrido, esquecido
Não me importa o passado! (2)

Com minhas lembranças
Acendi o fogo (3)
Minhas mágoas, meus prazeres
Não preciso mais deles!

Varridos os amores
E todos os seus temores (4)
Varridos para sempre
Recomeço do zero.

Não! Nada de nada...
Não! Não lamento nada...!
Nem o bem que me fizeram
Nem o mal, isso tudo me é bem igual!

Não! Nada de nada...
Não! Não lamento nada...
Pois, minha vida, pois, minhas alegrias
Hoje, começam com você!
Começa com você










sábado, 4 de julho de 2009

Tolerância...



"Tolerar a existência do outro, e permitir que ele seja diferente ainda é muito pouco. Quando se tolera, apenas se concede, e essa não é uma relação de igualdade, mas de superioridade de um sobre o outro. Deveríamos criar uma relação entre as pessoas da qual estivessem excluídas a tolerância e a intolerância."


José Saramago

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Selos e Memes


Recebi esse selo/meme de duas pessoas muito queridas:
A Madrasta e a Neguinha (então eu sou uma pessoa fofa duas vezes rs...rs...).
Então vamos lá!

1) Dizer quem passou o selo e colocar o link:

Madrasta e Neguinha

2) Copiar e responder as perguntinhas.

3) Escolher cinco amigas blogueiras e fofas:

*Wania
*Brisa Feliz
*Laura
*Tamires
*Jéssica


4)Avisar que ganharam o selinho: "A dona deste blog é uma fofa".
E as perguntas são:

1. Mania: organização (não é a toa que
fui ser bibliotecária rs...)

2. Pecado Capital: comprar livros.

3. Melhor cheiro do mundo: da minha mãe.

4. Se dinheiro não fosse problema eu faria: muita coisa pra deixar pessoas necessitadas felizes.


5. Casos de infância: quando criança havia uma propaganda na tv que era a bandeira brasileira hasteada e tomava conta de toda a tela, toda vez que esse comercial era exibido, eu corria e me escondia atrás do sofá, tinha medo da bandeira rs...rs. ou eu já pressentia essa bagunça toda que o Brasil ia virar? hehehee

6. Habilidade como dona de casa: quase tudo rs...

7. O que não gosta de fazer em ca
sa: arrumar a casa.

9. Frase:"Como é pouco amar muito! Amamos. Nem mais, nem menos." Guy de Maupassant.

10. Passeio para a alma: orar...

11.Passeio para o corpo: dormir....

12. O que me irrita: gente mentirosa e mald
osa

13. Frase ou palavra que fala muito: tá certo!

14. Palavrão mais usado: quase não falo, mas digito às vezes Porra hehehe

15. Desce do salto e sobe o morro quando: vejo mentiras descaradas e injustiça.

16. Perfume que usa no momento: não uso perfumes.

17. Elogio favorito: você é muito inteligente!

18. Talento oculto: não tenho nenhum ....rs..rs.

19. Não importa que seja moda, não usaria nem no meu enterro: blusa xadrez hehe

20. Queria ter nascido sabendo: 5 idiomas.... rs




Bem, agora posto um selo que recebi da amiga Lu.
Valeu pela lembrança!




quinta-feira, 2 de julho de 2009

Único...



A cada releitura d'O Pequeno Príncipe algo me chama a atenção nessa história tão delicada mas que nos faz constantemente voltar o pensamento para a nossa vida, o nosso dia-a-dia. E nessa nova releitura, o diálogo da raposa com o Pequeno Príncipe me chamou a atenção, quando ela o explica sobre cativar algo ou alguém. E diz assim: "Se tu vens, por exemplo, às quatro horas da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz."
É nessa simplicidade que comecei a refletir que nós mesmos sempre seremos responsáveis pelo que cativamos e dependerá sempre de nós começarmos a ser feliz desde muito cedo. E isso é possível com as pequenas coisas do dia-a-dia. O Pequeno Príncipe amava a única rosa que tinha e ao chegar na Terra e ver um jardim inteiro com muitas dela se espantou, mas deixou a lição que a dele era diferente, pois ele a cativou e portanto única.

Cultive seu amor, seu amigo, enfim, tudo que cativares será ÚNICO para você!

quarta-feira, 1 de julho de 2009