Postagens

Prêmio Jabuti 2020

Imagem
Imagem retirada da internet Ontem, dia 26 de Novembro houve a premiação do Prêmio Jabuti do ano de 2020. Dos vencedores, eu já tinha adquirido (mas ainda não li), o primeiro volume de  Escravidão, Vol. I – do primeiro leilão de cativos em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares, do Laurentino Gomes. Já quero começar o ano de 2021 com a leitura dele. E fiquei muito curiosa com outros dois títulos, o vencedor de melhor romance literário - Torto Arado do Itamar Vieira e também Uma furtiva lágrima da Nélida Piñon, na categoria crônica. Segue a lista com os vencedores de cada categoria, e quem quiser conferir mais sobre o prêmio e os demais indicados, é só acessar o site do prêmio, clicando aqui . Conto:  Urubus | Autor(a): Carla Bessa | Editora(s): Confraria do Vento Crônica:    Uma furtiva lágrima | Autor(a): Nélida Piñon | Editora(s): Record Histórias em Quadrinhos:  Silvestre | Autor(a): Wagner Willian Menezes de Araújo | Editora(s): Darkside  Infantil:  Da Minha Janela | Autor(a): O

Victober 2020: um mês dedicado à literatura vitoriana

Imagem
  Rainha Vitória  Imagem retirada da internet Nesse mês de Outubro de 2020 está acontecendo a Victober Brazil. Mas o que é? Durante o mês de Outubro faremos leituras de obras da Era Vitoriana (1837-1901), aquelas escritas em língua inglesa durante o reinado da Rainha Vitória. É uma iniciativa estrangeira, mas que nesse ano foi trazida para o Brasil através da Cristina Melchior do Canal Relivrando (clique nesse vídeo para conhecer o projeto e nesse outro para uma lista de sugestões de obras e autores). Como sou modesta e já tenho outras leituras em andamento, vou participar, lendo o livro abaixo: Arquivo pessoal Outubro/2020 Vamos participar? Quem for participar, poste nas suas redes sociais, suas leituras, impressões, e outros materiais, com a hashtag #victober #victoberbrazil , dessa forma, vamos conhecer o que todo mundo está lendo e aumentar nossa infindável lista de leituras. O que acham? Boa leitura para todos! Letícia Alves 

Minhas tardes com Margueritte - filme, livro e leituras

Imagem
Imagem retirada da internet No finalzinho de Junho assisti a esse filme de 2010, que no Brasil ganhou o título de Minhas tardes com Margueritte. O título original em francês La Tête en friche é o mesmo título do livro que serviu como base para inspiração do filme, sua autora é a francesa Marie-Sabine Roger. É sempre  bom assistir a filmes que foram baseados em livros e esse em especial (com certeza há outros e diversas listas na internet), além de falar da amizade improvável de Germaine (Gérard Depardieu) e uma senhora de 95 anos, Margueritte (interpretada lindamente por Gisèle Casadesus, falecida em 2017 aos 103 anos), nos fala de livros, da simplicidade da vida, os relacionamentos humanos, sejam familiares ou entre amigos.  Saímos da história com a alma leve, também pensativa e com uma pequena lista de livros que Margueritte vai apresentando à Germaine e também a nós telespectadores, e por assim dizer, leitores. A primeira figura literária que nos é apresentada é Guy de Maupassant, G

O Oitavo Selo - quase romance - Heloísa Seixas

Imagem
Imagem da internet Seixas, Heloísa. O oitavo selo:  quase romance. São Paulo: Cosac Naify, 2014. 192 páginas. Em um livro curto - são apenas 192 páginas, Heloísa nos leva para uma leitura intimista, verdadeira e muito intensa. Mesmo com o subtítulo - Quase Romance - esse quase diário ou quem sabe, quase memórias, nos revela muito da vida do homem protagonista, inspirado em Ruy Castro (marido da autora), trazendo ficção e realidade aos relatos, ou, aos selos.  Referências de músicas, filmes, livros e demais artes permeiam essa caminhada intensa, dolorosa, triste, porém, muito vitoriosa e verdadeira. Cada selo remete à uma parte do nosso organismo: Primeiro selo: Sangue; Segundo selo: Nariz; Terceiro selo: Fígado; Quarto selo: Língua; Quinto selo: Coração; Sexto selo: Sexo; Sétimo selo: Cérebro, e te convido a abrir O Oitavo selo nessa leitura. Iniciando com memórias de fatos que aconteceram antes de Heloísa se casar com Ruy, e passando por todos os problemas de saúde enf

Fantasmas na biblioteca - a arte de viver entre livros - Jacques Bonnet

Imagem
Arquivo pessoal/Fevereiro 2020 Bonnet, Jacques. Fantasmas na biblioteca : a arte de viver entre livros. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013. 158 páginas.  Esse pequeno livro nos fala sobre outros livros. E nos descreve bem. Nós leitores apaixonados pela leitura ou pelo objeto livro. E como sempre, nos instiga a procurar pelos títulos citados ao longo da história. Uma história de alguém que vive cercado por livros, e que nem sempre serão lidos. Um trecho diz isso e representa com certeza muitos de nós. Me representou bastante, me senti contemplada e por assim dizer, compreendida nesse amor que temos pelos livros e pela leitura. Um amor que muitas vezes é difícil de explicar e fácil de sentir.  Você vai marcar várias passagens no livro, há várias recomendações de leitura, não diretamente, mas quando o autor vai contando sua relação com os livros e os nomeando, vamos coletando como indicações. "Quanto aos perigos corridos pelas bibliotecas particulares, Nodier c

Controle - Natalia Borges Polesso

Imagem
Arquivo Pessoal/Janeiro de 2020 Polesso, Natalia Borges. Controle . São Paulo: Companhia das Letras, 2019. 172 páginas. Narrado em primeira pessoa, Controle, o primeiro romance da autora Natalia Borges Polesso, nos apresenta a história de Nanda. Uma menina que descobre a epilepsia ainda na infância. Acompanhamos sua trajetória até os 34 anos, com suas angústias, tristezas, descontrole, tentando assim manter o controle ou tê-lo. Com uma escrita envolvente e ritmada, a leitura flui muito tranquilamente, li o livro em apenas dois dias, mas acredito que em um dia só, você devorará essa história que pode acontecer do seu lado ou ter sido vivida por qualquer um de nós.  A descoberta da sexualidade, no caso, homossexualidade, primeira cerveja e primeiros tantos momentos são descritos de forma poética e que te coloca naquela cena, você quase toca a mão das personagens.  Até por que você se reconhecerá no ambiente dos anos 90, músicas do New Order e por aí vai. A Aline Aimée do

A dama do cachorrinho [e outras histórias] - Anton Tchékhov

Imagem
Imagem retirada da internet Tchékhov, Anton. A dama do cachorrinho [e outras histórias] . Porto Alegre: L&PM, 2012. Apesar de ter vários exemplares de literatura russa na minha coleção, ainda não tinha lido nenhum. Não sei precisar o motivo, talvez receio, o livro não tinha me escolhido? Várias razões.  E então através do incentivo da página do Facebook, Literatura russa para brasileiros que propôs um desafio para esse ano. Ler em cada mês alguma obra do aniversariante, no mês de Janeiro, o aniversariante é Tchékhov. Quem quiser conhecer o desafio e participar, clique aqui .  Agora vamos ao comentário sobre o livro. Primeiro leitura russa e de contos russos que leio. Tchékhov é considerado um excelente contista, nessa coletânea de doze contos, o mais famoso é o que dá título à obra. Neles a questão social russa no século 19 é o mote que entrelaça todas as narrativas. Os sentimentos e aflições do povo, independente da sua classe social estão ali escancarados pa