terça-feira, 31 de dezembro de 2013

O meu ano novo...



Muito se fala em Ano Novo, mas está correto, levando-se em consideração o calendário humano. Mas há muito tempo eu penso que o ano novo não existe!

Calma!

Não tentarei esvaziar as ceias fartas, os brindes e todos as felicitações. Sendo essas últimas vindas de gente que você nunca viu, e, principalmente, daquelas pessoas falsas que durante o ano nem se importavam com você, e de repente se tornam tão cristãs e verdadeiras.

Mas o ano novo não existe!

O que existe é a nossa vontade diária de mudar, de ser feliz, de estar junto a quem se ama, e o mais importante, permanecer com caráter em quaisquer circunstâncias que a vida nos apresente!

E vou assim, seguindo minha vida a cada dia como se fosse o ano novo. 

O meu ano novo!


Por Letícia Alves


quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Ela só queria...


Ela observava seu sono,
Por vezes agitado, outras vezes tranquilo,
Reflexos inconscientes de sua história.
Sim, cada um tem essa história, consciente e inconsciente.


Ela só queria levar um pouco de paz, tranquilidade, saúde emocional.

Ela só queria que as turbulências, o medo, tudo se dissipasse.

Ela só queria que cada dia fosse pleno.
Pleno de sorrisos sinceros, abraços fortes, caminho firme a seguir.


Ela só queria não se perder mais,
Ela só queria recuperar a felicidade e a alegria de viver.
Ela só queria que o sono dele fosse constantemente tranquilo, suave, sem as turbulências daquela história inconsciente.

Ela só queria...

Por Letícia Alves

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Os dias que passam...



Quando eu era menina, sabia que a vida não seria fácil. A vida não é fácil para ninguém.
Mas eu tinha sonhos, expectativas, acreditava que o mundo poderia ser diferente. Eu vi isso tudo ou melhor, pensava nisso tudo, sentada nas arquibancadas da quadra de esportes da escola, balançando meus pezinhos com botas ortopédicas.

Usar botas na infância até a adolescência, me fez ser alguém introspectivo, e por consequência, não muito falante.

Sempre pensativa, o mundo era cinza para mim, e não mudou muito a cor, ao longo desses anos.

O mundo me ensinou que tudo viria na via mais difícil, mas mesmo assim não desisti. Entre acertos e erros, eu fui empurrando todas as pedras que apareceram e teimavam em me atrapalhar, assim o fiz, mas com dignidade e sem atropelar ninguém ou magoar.

É, ser adulto não é fácil. Era mais fácil ser criança, onde os joelhos ralados eram mais fáceis de curar do que coração ferido. Mas é preciso vivenciar diversas experiências, primeiro, por fazer parte da vida, e como dizem por aí, faz parte do nosso crescimento e maturidade. Será?

Olho para trás e por vezes não me vejo tão diferente assim da menina sentada nas arquibancadas da quadra de esportes da escola, balançando os pezinhos com botas ortopédicas. Eu apenas cresci (não muito), e tenho mais números na idade do que naquela época.

Hoje em dia, meus joelhos não estão ralados (apesar de doerem às vezes), mas percebo que meu coração por vezes fica ferido.

É tão difícil curar um coração...

Por Letícia Alves

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Eu, meu pai e meus outros amores - Lilian Reis


Sinopse: Há coisas na vida que acontecem e a pessoa se revolta, fica com raiva de tudo e de todos, contudo, Jade teve que aprender da maneira mais dura, que o mundinho no qual ela vivia era fútil, uma imensa bola cheia de nada. Para Jade, tudo que importava era sua mãe, padrasto e amiga. 

O pai era um sonho inalcançável, uma figura por quem Jade nutria “sentimentos incompreensíveis”. Ela acreditava que aquela vida de badalações, academia de dança, luais, e festas eram tudo de bom, e para o qual valia a pena viver. O resto era descartável. Entretanto, Jade fora inserida “contra sua vontade”, em outro mundo. Um lugar completamente sem valor para ela. 

As pessoas pouco lhe interessavam e tampouco ela acreditava que eles se interessassem por ela. Para ela, uma garota da cidade grande, o que importava eram as coisas que ela podia fazer e a maneira como se divertia, e amava apenas essas pessoas que eram seu ”tudo”...

Uma história cheia de emoções, conflitos, dúvidas e descobertas, que tem um enredo gostoso, uma linguagem jovem e engraçada. Prepare-se para conhecer o outro lado do mundo de Jade. Uma adolescente quase adulta, que se mostrou rebelde e marrenta. Será que Jade aprenderá com seus erros a ser uma pessoa melhor? 

O livro aborda vários temas importantes, dentre eles a primeira transa, a amizade, e os sentimentos de um modo geral. Contudo, a abordagem principal é o amor de Jade por seu pai. Um homem do interior, que conviveu com sua filha apenas nos primeiros anos de vida, mas que a marcou muito. Para ela, o pai foi seu herói, aquele que a acudia dos pesadelos e dos seus medos. Todavia, a imagem deixada por ele apagou-se pelo fato de ele não ser um pai presente. A vida de Jade deu outra guinada após uma tragédia, que a obrigou a viver outra realidade..



Lilian Reis e eu no lançamento do seu livro: Eu, meu pai e meus outros amores. Em Março de 2013

Minhas impressões

E comecei a leitura de forma despretensiosa e não imaginava que iria ser cativada pela narrativa e por seus personagens.

Eu, meu pai e meus outros amores é uma história leve, mas densa ao mesmo tempo, quando trata das relações entre família, amigos e a vida.

Somos postos à prova em todos os momentos de nossa existência terrena, dores virão, alegrias, surpresas, boas ou ruins, tudo isso faz parte das nossas vidas.
E foi nesse turbilhão de acontecimentos que encontraremos Jade. Uma menina cheia de vida e sonhos, ao lado da sua mãe e do padrasto. Uma relação complicada com o pai que vive no interior. Mas um grande acontecimento na vida de Jade, transforma tudo o que a menina de olhos verdes sonhava para si. 

É nesse clima que há o desenrolar de histórias paralelas, e que vão apontar sempre pra Jade e sua relação com o amor. Seja ele, filial, ágape ou eros. Uma história de perdão, recomeços, e de novas histórias.

Lilian consegue com sua escrita clara e leve tratar de uma história com tantos sentimentos e emoções que as personagens travam.

Terminei a leitura em poucos dias e a autora deixou um quê de continuação, que para minha surpresa, foi lançado esses dias em formato digital na Amazon, e a versão impressa sairá no próximo ano.

Recomendo a leitura! Para refletir, analisarmos nossas vidas e seguir adiante sem nunca perder a fé.

Boa leitura a todos!

domingo, 1 de dezembro de 2013

Despertar?

Imagem da internet


Mas o que é acordar?
Seria o mesmo que despertar?
Não sei.
Apesar de gostar muito de dicionários.
Eles sempre me remetem a distâncias longínquas e ao mesmo tempo me faz pensar em cada letra, cada som, cada significado.


Eu paro e penso,
Estou acordada?
Estou em um sonho?
Um pesadelo?


O real e o irreal se confundem nessa vida tão desatinada...


Por Letícia Alves

domingo, 24 de novembro de 2013

O que é o sonho...

Foto: Juvio ER Oliveira

Pensar não traz atividade,
Não traz frutos,
Não traz paz.

Mas sempre há em algum lugar de mim, uma vontade imensa de sair por aí.
Saltitando,
Gritando,
Quiçá dançando.

Pensar não me fará realizar,
Mas pelo menos, me fará sonhar.

E o que é o sonho?

Uma realidade deslocada do futuro?
Uma vontade imensa de realizar?

Ah, eu não sei,
Mas sei que sempre haverá em algum lugar dentro de mim, o insano desejo de felicidade.



Por Letícia Alves 

domingo, 17 de novembro de 2013

Falando ao mundo...



Foto: Juvio ER Oliveira

De uma cidade qualquer, numa data qualquer, em um ano qualquer



Olá, Mundo!


Tudo bem?

De uns tempos para cá, ando meio cismada em lhe escrever. Pois o barulho da humanidade tem me deixado atordoada e meus pensamentos desconexos. Não sei muito bem, como você irá receber minhas linhas. Mas mesmo assim, resolvi escrever, faz tempo que não nos falamos.

Queria te dizer que sinto falta do aroma das manhãs frias, e o cheiro do café que acabou de ser coado. Sinto falta também das gargalhadas pela manhã e os passarinhos que passavam em revoada.

O barulho que hoje escuto, não se parece em nada com a melodia que há tempos não tenho o prazer de ouvir. 

As cores então... Ah, as cores... de repente sumiram. Tudo anda tão cinza e silencioso, e paradoxalmente, barulhento.

Sabe, Mundo, eu fico a pensar, se um dia, tudo vai voltar a ser como antes: passarinhos em revoada, cores vibrantes, uma brisa tão boa, o aroma do café acabado de ser coado, e claro, as gargalhadas pela manhã.

Bom, eu acho que não! Tudo isso vi ficar na minha memória para sempre, como algo bom, imutável, apenas para mim.

Mas eu não poderia deixar de lhe escrever, para que você soubesse o quanto me sinto triste e saudosa de tudo isso.

Sorte para nós!

Com carinho,


Letícia Alves


domingo, 10 de novembro de 2013

Frias noites...

Foto: Juvio ER Oliveira

Nas frias noites de inverno, meu corpo tremia.

Era um tremor diferente, algo inusitado, não era medo, não era ansiedade, mas uma emoção completamente diferente.

Abri os olhos e mirei a janela que estava entreaberta. As cortinas dançavam embaladas pela brisa noturna.

De repente, uma vontade de buscar pela escuridão lá fora, brotou em mim.
Não, eu não tenho medo do escuro. Mesmo quando era criança, a escuridão nunca me apavorou, pelo contrário, me fascinava.

Pois por detrás daquela janela, eu ganharia o mundo, era como se a liberdade me espreitasse por trás daquela cortina esvoaçante.

Minha mente começou então a fantasiar, campos verdes, mananciais de águas límpidas, e então o paraíso me encontrou. Quando dei por mim, acordei, e entre nuvens e devaneios, encontrava-se ainda deitada, refletindo sobre a vida.


Noites nunca mais serão as mesmas, nessa inconstância de caminhos & (des)caminhos, mas sempre me lembrei daquelas noites frias e brancas...



Por Letícia Alves 

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Turnê Literária em Belo Horizonte

Olá, queridos amigos e leitores do blog.

Hoje venho lembrar a vocês da Turnê Literária que estará em Belo Horizonte no próximo dia 16 de Novembro de 2013.

Abaixo o flyer de divulgação.

Vamos prestigiar os novos talentos da literatura nacional!






Por Letícia Alves 

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Saudades...

E a vida é feita daqueles momentos: os bons, os ruins, a alegria, a tristeza e a saudade.
A saudade, esse sentimento que nos corrói a alma, nos deixa imóveis, distantes, reflexivos. É o mesmo sentimento que nos faz sentir que aqueles momentos e/ou pessoas foram importantes, diria até mesmo, cruciais para a nossa existência. 
É assim dessa forma que me sinto no dia de hoje. Há exatamente 14 anos, meu pai se foi, mas como o tempo é paradoxal, é um longo período e ao mesmo tempo, foi ontem.
Sinto muita falta dele, das risadas, dos casos que ele contava. Das peculiaridades que o "Seu" Emiliano tinha. Sujeito ímpar, que partiu jovem, e que sempre estará em meu coração e em minha memória.





Pai, muito obrigada por seus ensinamentos, sua presença de espírito, seu enorme coração, sua risada tão alegre e por ter me dado a oportunidade de ser sua filha. Sei que onde estiver junto com mamãe, olha por mim!

Saudades eternas!


Por Letícia Alves

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A linhagem - Camila Dornas

Conheci a Camila Dornas em um evento de lançamento de livros aqui em Belo Horizonte no início de 2013. Assim como essa jovem autora, outras participaram do evento e desde então tenho lido novas histórias e dando espaço para a nova literatura nacional.



Camila Dornas e eu - Março de 2013
Foto: Juvio ER Oliveira


Foto: Juvio ER Oliveira




A sinopse do livro A linhagem destaca um pouco da história contada: Londres do século XVIII. A capital da Inglaterra era um dos mais importantes centros do mundo. Vestidos pomposos, elegância e boas maneiras. Um tempo onde as posses e a reputação regiam a sociedade. A igreja possuía poder absoluto e condenava aqueles os quais pesava a suspeita de bruxaria – a arte oculta temida e repudiada pelo senso comum. Nesse cenário intimidador, surge uma mulher especial, com dons inimagináveis. E um destino grandioso... 

A minha percepção da leitura parte do princípio que eu esperava um romance histórico fictício e de fantasia. No geral, a história me agradou no que se trata de divertimento e da narrativa, mas confesso que esperava mais da trama.
Talvez para o livro de estreia a autora não explorou todo o potencial que ela me apresentou na escrita, faltou alguns elementos na amarração da história, como eventos históricos relacionados e maior densidade para o final.
De qualquer forma, foi uma leitura agradável do ponto de vista do divertimento e distração, opções que a leitura nos proporciona.

Aguardo novos textos da Camila, já mais amadurecida e com outras temáticas.

Por Letícia Alves

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Pensamentos & Tempestades...


Foto: Juvio ER Oliveira


Invisível e tênue linha
No horizonte que
Se perde
Entre tantos
Gestos e sussurros que
Ultrapassam as barreiras de um coração, antes
Rebelde, mas que
Aprendeu a amar, e ainda erra.




Por Letícia Alves

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Freud Me tira dessa! - Laura Conrado

Freud, Me tira dessa! é um daqueles livros leves, divertidos, mas que nos deixam uma lição e grata surpresa. Eu digo lição, pois para mim a literatura tem esse papel também, além do divertimento, da reflexão, da informação, também o de nos deixar algo em que pensar.


Olha que legal!
Foto: Juvio ER Oliveira

Li o livro em apenas dois dias, as aventuras da Catarina, suas amigas e amigos, toda a dinâmica da história, nos faz mergulhar na personagem e vivenciar cada dia, cada hora dela nas sessões de psicoterapia. Na busca do "corpo perfeito", nas trapalhadas no território da conquista. Você vai rir muito, mas também vai se emocionar, com essa mulher, misto de menina e mulher em várias ocasiões. E digo que até vai se identificar com algumas da atitudes dela.

A dinâmica da história nos faz querer chegar logo ao final para ver o que Catarina vai aprontar mais uma vez e qual o desfecho para tantas trapalhadas.



A escrita da autora é leve, descontraída e muito prazerosa de se ler, e em alguns momentos me lembrou a escrita da Janaína Rico (outra autora que recomendo vocês conhecerem, tem resenha aqui).



Meu exemplar autografado
Foto: Juvio ER Oliveira


Para quem quer se divertir e ao mesmo tempo vai se identificar com atitudes da personagem, vale muito a leitura.

Recomendo!



Por Letícia Alves



quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Blog Action Day 2013 - Human Rigths


O Blog Action Day é um evento anual que congrega no mês de Outubro, blogs do mundo inteiro em torno de uma temática de importância para o planeta. Esse ano o tema é Direitos Humanos.

De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos datada de 1948, em seu preâmbulo, temos a seguinte afirmação:

Considerando que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na Carta da ONU, sua fé nos direitos humanos fundamentais, na dignidade e no valor do ser humano e na igualdade de direitos entre homens e mulheres, e que decidiram promover o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla, … a Assembleia Geral proclama a presente Declaração Universal dos Diretos Humanos como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações…”
Preâmbulo da Declaração Universal dos Direitos Humanos, 1948

Infelizmente o que temos assistido pelo mundo inteiro é o desrespeito à dignidade humana, ao próximo. A vida se banalizou de tal forma que a fome, as doenças tem assolado a humanidade, e os governantes e nós mesmos, os que estamos ali do lado de alguém nessas condições, não somos solidários e não procuramos auxiliar.
É claro, que os governos tem a obrigação de implementar políticas públicas para melhoria da vida da população, incluindo desde o direito básico à alimentação, ao ir e vir, assistência médica, até os mais complexos, como o direito à paz (não viver em um país em constante guerra).
Pensar a humanidade, a sua evolução, é pensarmos em como podemos mudar a história, pois os Direitos Humanos estão aí, escritos, conhecidos mundialmente, porém, não cumpridos. 
É hora de sermos solidários com nosso irmão, e agirmos no momento do voto para mudar nosso país.
Vamos mudar!
Por Letícia Alves

*esta postagem faz parte do Blog Action Day que acontece todos os anos na Internet em prol de um tema. 

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Linhas...

Foto: Arquivo Pessoal


Meu mundo,
Em cinzas,
Linhas que
Alcançam,
Nuvens dispersas, de cor de
Chumbo.
Olho e percebo na tênue
Linha da vida, uma
Ilha e um naufrágio há vista.
Abraços que faltam nessa imensidão...



Por Letícia Alves


 

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Inverno de Cinzas - Adriana Brazil



Da série "Foi assim que te amei", o livro Inverno de Cinzas me cativou. A história de Helen e Andrew continua de forma tão intensa e especial. Curiosa para saber o que está por vir na continuação do livro 3 - Primavera de Cores, que segundo a Adriana será lançado no próximo ano.


Um trecho do livro que está por vir, nos mostra como serão intensas as próximas estações:



“Aquela Primavera foi intensa em suas cores... Ela trazia um misto de saudade e alegria, de um tempo marcado pelo cessar da chuva. As flores brotavam, os pássaros incansavelmente davam voz a elas. Pois silenciosamente elas apenas exalavam um doce aroma, um suave perfume. Helen Castilho”



Eu confesso que as palavras da Adriana Brazil me encantaram e o seu jeito de contar histórias é diferente de qualquer outro autor (a) que eu já li. Já disse antes que romances nunca foram o meu forte em leitura, mas a partir da vivência com o texto da autora, minha concepção mudou (pelo menos para os textos dela).

Nessa continuação, as dificuldades e tristezas que vão permear a história de Helen e seu amado, Andrew, nos cativa, nos faz estar atentos às coisas do coração, ao trato nas questões Divinas e principalmente na superação das angústias e do deserto que por vários momentos na vida, a gente passa.

Pude refletir sobre a solidão, o medo, a esperança, a fé, a alegria e tantos sentimentos conexos e desconexos no nosso viver. A autora conseguiu com sua sensibilidade, me sensibilizar e trazer à tona mais uma vez em mim, a esperança e a fé no Altíssimo.

Eu recomendo a leitura para todos aqueles que se encontram desesperançosos, angustiados, deprimidos e sem fé para seguir adiante. Exemplos de determinação e coragem sempre são bem-vindos e fazem com que a gente consiga seguir em frente.

Por Letícia Alves




terça-feira, 1 de outubro de 2013

Outubro...

Foto: Juvio ER Oliveira


E outubro chegou...
Um novo mês...
Novas histórias...
Desejo de renovação.

O ser humano cortou o tempo em fatias,
E cada uma delas nos inspira a renovar,
Refletir,
Enamorar-se da vida,
E brindar o renascer de cada dia.


Que seja um lindo mês,
De novidades,
Vida,
Abundância e felicidades diárias.



Por Letícia Alves

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Primavera...


É Primavera...

Mais uma vez, Deus através da natureza nos dá a oportunidade de recomeçar.

Um novo ciclo,
Novas esperanças florescem.





Foto: Juvio ER Oliveira




Deus presente na criação...
A perfeição e o amor de Deus direcionado a nós.





Foto: Juvio ER Oliveira




Que seja uma nova época,
Novos desafios,
Novas cores,
Novas alegrias.


Foto: Juvio ER Oliveira


Com amor,
Fé,
Esperança.






Foto: Juvio ER Oliveira







E é Primavera!



Foto: Juvio ER Oliveira




Por Letícia Alves



sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Daqueles dias...



Daqueles dias em que o universo se expande mais...
As nuvens se movimentam ao sabor de ventanias, que nós tão pequeninos, olhamos para o céu e é como se elas se movimentassem com tanta força que parece que vão cair.


Daqueles dias de coração aquecido,
Sorriso nos lábios,
Mente vagando por pensamentos felizes.


Daqueles dias, de incertezas da vida,
De medos vazios,
De esperanças que se esvaem...


Daqueles dias de insegurança,
Tremor no peito,
Mãos trêmulas,
Lágrimas nos olhos.


Sempre aqueles dias...




Por Letícia Alves

sábado, 7 de setembro de 2013

Perdão...



O que é o perdão?


"O perdão é o esquecimento completo e absoluto das ofensas, vem do coração, é sincero, generoso e não fere o amor próprio do ofensor. Não impõe condições humilhantes, tampouco é motivado por orgulho ou ostentação. O verdadeiro perdão se reconhece pelos atos e não pelas palavras."


Sim, eu acredito nisso. Liberar o perdão, alivia a angústia, o pavor, o medo e todas as mazelas da alma. Em um mundo tão conturbado, é necessário mais atitudes de perdão.


Por Letícia Alves

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Casa nova da San...

Hoje acordei e tive uma grata surpresa, agora a San tem uma casa nova.

Vai lá gente!





O endereço é: http://www.oblogdasan.com/

E tem promoção também, você vai perder?


Por Letícia Alves

sábado, 31 de agosto de 2013

Alma...


Alma devastada...
Coração que dói.
Lágrimas pungentes.


Tristeza que invade,
Meu ser.
Alma ferida.

Suspiros profundos,
Silêncio cortante,
Um coração que aperta.


Tudo parece distante...

Por Letícia Alves



quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Um banco...

Praça da Liberdade - 25/04/2013 - Foto: Letícia Alves
E era um banco...
Um banco para dois lugares...
Um banco...
Que estava vazio.


E era um banco...
Que já tinha presenciado várias histórias,
Um banco...
Que ficou à espera.


E era um banco...
Que na melancolia do existir,
Ansiava por novas histórias.


E era um banco...
Agora não mais vazio.
Ocupado em seus dois lugares,
Dois corações encontrados.

O banco...

Por Letícia Alves

sábado, 24 de agosto de 2013

Outono de Sonhos - Adriana Brazil

As estações do ano sempre me encantaram. Palavras também. Outono dos Sonhos já me chamou a atenção pelo título e depois que descobri que essa bela história de amor entre Helen e Andrew se passa durante as quatro estações - na série "Foi assim que te amei" - era mais do que necessário essa leitura.

Quem me conhece sabe que romances românticos nunca foram o meu estilo de leitura, mas me dei a chance de conhecer essa história e também mais uma autora nacional. A escrita de Adriana Brazil me cativou. Suas belas palavras, descrições de emoções e cenários me transportaram para dentro do livro de uma forma especial. 

Em apenas 3 dias, consegui ler o livro, e o finalizei com a sensação de ter que conhecer a continuação no livro 2 - Inverno de Cinzas e mergulhar novamente em um universo de amor e emoções controversas.

Adriana conseguiu me levar para um estilo de escrita que não é piegas, e sim,um texto leve, mas construído com solidez e que não deixa a desejar para nenhum autor consagrado.

Te agradeço Adriana Brazil por me dar a oportunidade de conhecer e admirar seus textos e renovar em mim mais uma vez a esperança que vem da fé em Deus.

Muito obrigada!

Recomendo fortemente a leitura da série "Foi assim que te amei"!



Adriana Brazil e eu no lançamento de "Outono de Sonhos" em Março de 2013 - Belo Horizonte - MG - Casa Una de Cultura




Capa do livro - Outono de Sonhos - Foto: Juvio ER Oliveira


Dedicatória - Outono de Sonhos - Foto: Juvio ER Oliveira


Por Letícia Alves