sábado, 28 de fevereiro de 2009

Primeiro aniversário...



Criei meu perfil no Blogger em Setembro de 2007, mas somente em Fevereiro do ano seguinte, precisamente em um dia 28 como o de hoje, escrevi a primeira postagem, clique aqui pra ler. No início eu queria somente saber como manipular ferramentas na Internet, pois já o faço em outras instâncias. Nem sabia muito bem pra que serviria um blog, mais um diário eletrônico? um local pra escrever palavras ao vento? Nunca me passou pela cabeça o que realmente seria e como reagiria nesse mundo chamado blogosfera.

Desde então fui aprendendo as ferramentas tecnológicas, fiz amigos, li e leio todo o tipo de textos, sejam inéditos, pessoais, republicações, traduções ou simplesmente desabafos, assim como foi um dos meus intuitos.

Palavras ao vento, liberdade...

Não tinha comigo a pretensão de receber comentários para meus escritos cheios de devaneios, incertezas, angústias, tristezas, momentos de raiva e por aí vai, com toda a sorte de sentimentos da natureza humana. E como já escrevi em outra oportunidade, coisa de ir do céu ao inferno em instantes!

Bom, sei que hoje faz um ano que iniciei essa jornada nesse imenso e ao mesmo tempo pequeno mundo virtual, eu digo pequeno, pois sempre que posso gosto de transformar o virtual em real. Conhecer as pessoas quando possível e às vezes devido à uma grande distância, ouvir a voz, falar um oi, um como vai você? (não, eu não preciso saber da sua vida, rs.. a não ser que você queira me contar). Gestos assim, minimizam distâncias e nos auxiliam nas relações interpessoais.

Agradeço de coração à todos aqueles que passam por aqui, os que somente lêem e se vão, os que lêem e comentam e aos seguidores.

Não vou nomear todos, pois seria injusta se me esquecesse de alguém, mas todos sabem do meu carinho por vocês.


Beijos Tempestuosos!


Trilha do momento
Som dos corações amigos



sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Lembranças regadas à capuccino....


Sentada à mesa de uma cafeteria, bebendo seu capuccino , ela sorve cada gole e relembra aquele momento.
Há mais de dois anos encontravam-se pela segunda vez, ela super nervosa, ele ansioso.
Ela chegou dez minutos antes do combinado e como sempre entrou em uma livraria. Percorreu estantes inteiras e um livro lhe chamou a atenção, passou cada folha, mas não quis comprar.
Já se passava os dez minutos ela não gostava de se atrasar, msmo que isso significasse apenas atravessar a rua em direção à cafeteria marcada.
A passos nervosos ela atravessou as duas pistas de uma avenida famosa no coração daquele bairro charmoso. Era o segundo encontro mas a emoção era como se fosse o primeiro.
Ele se levantou da cadeira e a cumprimentou com um beijo terno no rosto, a convidou para sentar e perguntou como foi o dia. Enquanto isso, o garçom se aproxima para anotar os pedidos.
Ele pede uma cerveja e pergunta se ela se incomoda, ela diz que não. E naquela noite fria ela pede um capuccino (o mesmo que hoje a fez recordar daquele momento tão sublime).
Enquanto os pedidos não chegam, conversam sobre o dia, o que cada um vez e as perspectivas para o fim do ano. E ela sempre trêmula de emoção. As bebidas chegarm...
Conversam e ele pergunta se ela está com frio - ela responde que sim.
Ele olha para os pés dela e lamenta que esteja calçada com botas. Ela sorri e diz que depois mostrará seus pezinhos. Ele sorri e continuam aquele papo animado, tranqüilo e sem pressa.
..................................................................................
Os rostos se aproximam e se beijam. O mundo some. Apenas os dois estão no mundo só deles.
Ele diz que o beijo dela é quente e doce. Ela sorri envergonhada e diz que é o capuccino.
Infelizmente, chega a hora de ir embora. Dia de semana, no dia seguinte rotina de trabalho...
Ele a olha e diz - Vamos?
No caminho até o carro ainda diz - E os meus pezinhos? E ela sorri dizendo - Calma!
No carro ela tira as botas e ele olha deslumbradamente aqueles pequenos pés que ele tanto gosta. Em um malabarismo ela consegue colocar os pés no painel do carro e ele os acaricia e os beija.
Ela diz - Agora vamos? Desce os pés e ele liga o carro. Até o caminho da casa dela, paradas em semáforos de trânsito, beijos acalorados e palavras de carinho.
Chegam à porta da casa dela. Ela diz - Acende a luz preciso calçar as botas. Já vi gente chegando em casa sem calcinha depois de um encontro, mas sem sapatos.... e sorri. Ela calça as botas e o beija ternamente apaixonada. Ele diz - Até a próxima, e vá de sandálias, está bem?
Ela sorri, bate a porta do carro e entra em casa. Ele arranca e desaparece junto com o barulho do motor do carro.
E essa lembrança apaixonada acaba quando ela sorve a última gota do capuccino naquela manhã de Fevereiro.
Letícia Alves
Trilha do momento
Perfeita Simetria
Engenheiros do Hawaii

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Enquanto isso no Bar do Bardo...



E nada é por acaso, isso eu já pude perceber sem nenhum constrangimento. E deixo me levar nessas conspirações do bem que o Universo coloca a nosso favor.

E nessas conspirações, trocando idéias, conversa dali e conversa daqui chego a conclusão com meu amigo lá no Bar do Bardo que eu não sei o que os CANALHAS querem, mas eu sei que não quero os CANALHAS.

Leva tempo pra gente aprender? sim!

É difícil? sim!

É impossível? não!

Então sigamos em frente e tchau CANALHAS!
Letícia Alves
Trilha do momento
Nuvem
Engenheiros do Hawaii

Nomes...

E eis que numa bela manhã dessas ensolaradas e radiantes Eu fico a pensar e a contemplar o horizonte e sua linha infinita.
Solidão? Companheira às vezes, presença na Tua ausência.
Mesmo que eu viva em meio a Tempestade sei que de alguma forma os Ventos lhe trarão de volta.
Hoje? Amanhã? Não sei! Por que sinto que onde estás não é o Teu lugar...
Nem eu sei onde é o meu lugar ainda, pois meu coração teima em bater acelerado quando te vê.
Minhas pernas tremem e minha boca fica seca, me inunda um turbilhão de emoções.
A vida vai passando e eu aqui sem Você.
E nesse mundo de
Pronomes...
Mil nomes...
Codinomes...


Eu..
Você...
Nós..


Teu lugar,
Solidão e Eu,
Tempestades e Ventanias.

Isso tudo é Apenas sobre mim*.

Letícia Alves

Trilha do momento
Algo por você
Engenheiros do Hawaii

*esse post é em homenagem à Eu e a Solidão

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Você... Nós...



Você foi chegando de mansinho, sem avisar, sem pedir licença e como um furacão, uma tempestade se apoderou de mim.

Entrou na minha vida assim meio sem querer e quando percebi já era intenso, necessário, apaixonante, desconcertante, emocionante.

Esse querer tenso e forte, que deixa sem ar, ofegante, transpirante, mistura de gostos, de suores, de amores!

Você, nós, esse amor, essa paixão, esse alento, essa vida!


Letícia Alves

Trilha do momento
Since I Don't Have You
Guns N'Roses

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Noite...



A noite chega, vem devagar trazendo consigo os pensamentos mais longíquos e intrigantes. A vida pregressa, a vida que corre, a vida que está por vir. Estrelas no céu anunciam que você não está só, por mais que nessa imensidão terrena você se sinta abandonado, frágil, pequeno, indefeso, triste, solitário.
Noite... eterna companheira dos solitários, dos casais apaixonados, dos amigos em volta da fogueira, companhia para a vida.
E é na noite que os sonhos nos acometem, desejos renascem, reencontramos nosso Eu.
Devaneios, anseios, inquietudes, incompletudes, distorções, invenções...
Noite adentro, vida renascendo!!!


Letícia Alves

Trilha do momento
Change the world
Eric Clapton

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Obrigada!


Obrigada aos amigos que estiveram presente com suas palavras aqui no meu cantinho!!!
Em especial (desculpe se esqueci algum) à:


*
Avassaladora
*Mangarosa
*Marcos Miorinni
*Eu e a solidão
*Henrique
*Sentimental
*

Pra vocês eu dou o selo abaixo como agradecimento!

Beijos Tempestuosos!


Esquecer...


"Como pode ser gostar de alguém
E esse tal alguém não ser seu
Fico desejando nós gastando o mar
Pôr-do-sol, postal, mais ninguém

Peço tanto a Deus
Para lhe esquecer
Mas só de pedir me lembro"

Vanessa da Mata
Amado

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Ser...


"Ao contrário da busca de coisas que valha a pena TER, a busca de coisas que valha a pena SER geralmente exige longos períodos de solidão".

Meyer Friedman

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Pausa...



Decisões são meio complexas de serem tomadas, pois muitas vezes nós, simples mortais acabamos por não cumpri-las e sempre há uma desculpa pra isso. Mas o que seria de nós se não tomássemos decisões? Sejam elas graves ou mais brandas, definitivas ou temporárias, fáceis ou difícieis? Bem, natural do ser humano tomar decisões frente à questões que se quer resolver ou mesmo aplacar naquele momento. E lá vou eu tomar mais uma decisão, uma escolha, mesmo que temporária, ou seja, ela poderá ser revogada em algum momento, pois sei que não é definitiva.

Então até segunda ordem (no caso a ordem da emoção, se bem que ando bastante racional por esses tempos), estou em férias dos homens.

Explico: sei que relações humanas são complexas, sejam elas entre pessoas do mesmo sexo, de sexo oposto, relações de amizade, de família, de trabalho, enfim, os humanos em geral.

Mas nesse momento eu resolvi me dar férias!


Letícia Alves

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Dias seguintes...




Se todos os dias parecem iguais, o que esperar dos dias seguintes?

Na verdade não são iguais...

Em cada um deles renasce a esperança de que podemos mudar nem que seja um pedacinho da nossa vida e com certeza fará uma enorme diferença quando a gente menos esperar.

O sol nascendo, a lua no alto céu estrelado, nuvens de chuva, flores se abrindo e então vemos a natureza se manifestando e dizendo assim: "-Você está viva, pois está vendo todo esse belo espetáculo".

E então eu chego a conclusão que os dias seguintes nunca são iguais...



Letícia Alves

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Chorei...



Chorei porque estava sem rumo.
Chorei porque minh'alma doía.
Chorei por não ter como ajudar.
Chorei porque nunca fui ajudada.


Chorei a falta de apoio.
Chorei a ausência de amigos.
Chorei por não ser útil.
Chorei por que queria ser feliz.


Chorei de decepção.
Chorei as inseguranças.
Chorei as incertezas.
Chorei de angústia.


Chorei os sonhos podados ainda na raiz.
Chorei por você que nem sei quem és, e que não está aqui do meu lado.
Chorei sentada ao meio fio depois de um abandono.


Chorei no até logo.
Chorei no reencontro.
Chorei no adeus definitivo.


Chorei de alegria.
Chorei por comoção.
Chorei por lembrar do passado e não conseguir enxergar o futuro.
Chorei no presente porque quis mudar e não consegui.

Enfim, chorei em meio à tempestade.


Letícia Alves



quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Do céu ao inferno...



Tem dias, semanas, meses ou até anos que vamos do céu ao inferno.


Mas teve um dia em que fui do céu ao inferno em questão de instantes, coisa horrível.


Você está numa boa, tranqüila (adoro trema hehehe), e de repente o chão se abre e você vai caindo e literalmente para o inferno. E pra sair de lá, ah! que dificuldade, pois se o que te levou até lá, não se dissipar com tanta rapidez quanto te levou, esse estado infernal pode se prolongar por algum tempo. E haja paciência! Tudo torna-se irritante, estafante, e todos os -antes possíveis. E eis que depois de um tempo, o céu aparece novamente!

Ah! que maravilha e tudo volta ao normal e você se sente leve como uma pluma.

Se depois de toda tempestade vem a bonança, espero que uma tempestade apague o fogo do inferno!


Letícia Alves



segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Dias iguais...


Um dia igual ao outro...

Não importa se é sábado, domingo ou feriado. O calendário não faz muita diferença, as horas vão passando e a vida também!

E tudo vai se esvanecendo em brisas e tempestades....

Necesitando de um porto seguro.
Letícia Alves


Trilha do momento
Ando Só
Engenheiros do Hawaii

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Crise...



Crise


cri.se

1.Momento crítico ou decisivo. 2. Situação aflitiva. 3 fig Conjuntura perigosa, situação anormal e grave. 4. Momento grave, decisivo.


Bem, tinha muitas outras definições para a palavra crise, mas acredito que essas são suficientes para descrever esse momento.

Ele é crítico mas não decisivo ainda, aflitivo sim, anormal nem sempre, pois de certa forma tornou-se algo corriqueiro nessas muitas tempestades.


Estou em crise!

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Telhado...


Ela estava ali debruçada na janela, olhar perdido na infinitude do horizonte. A visão que tinha era dos telhados que cobriam casas e casas. Cada um deles esconde uma história, várias histórias. Angústias, tristezas, felicidades, sucessos, fracassos, discussões, sonos, amores, amizades estão ali sob aqueles telhados.

Será que ali tão perto e tão distante sob aqueles telhados existia mais felicidade do que tristeza?

As cores deles mostravam neutralidade, imparcialidade, não daria pra notar se eram felizes ou não as pessoas que moravam sob ele.

Pensativa, olhava, e tudo era pacífico, nenhum movimento, nenhuma agitação. Somente a brisa a percorrer por aquele horizonte, e pelos telhados a levar folhas, flores, esperança e felicidade àqueles que dela necessitam.

O telhado é a cobertura de tudo, sinônimo de proteção e de cuidado.

Você já cuidou do seu telhado hoje?
Letícia Alves

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Le retour...




E hoje mais um retorno...

Voltando ao batente no curso de francês!

Allez!

Simples assim...



Era uma menina tímida, mas pensativa e contemplativa, olhava sempre ao seu redor e viajava nos olhares dos outros e no mundo à sua volta.

Sentada no pátio da escolha, observava seus colegas de classe brincando de bola, outros de corda, e também os que apostavam corridas. E ela ali, segurando em suas pequeninas mãos, o relógio de pulso que um colega pedia pra guardar enquanto se matava de correr pela quadra de esportes, os brincos de uma menina que se aventurava na piscina, e à sua volta vários outros objetos que precisavam de "guarda" enquanto seus donos estavam "longe" deles.

O tempo passava e ao final do dia, a professora gritava chamando as crianças dizendo que era hora de se trocarem, arrumarem as mochilas e aguardar a chegada dos pais e/ou responsáveis que iriam buscá-los.

Que bagunça!!! na mesma hora, meninos e meninas se amontoavam à sua volta pedindo com seus braços pequeninos, seus pertences. E ela esticava as mãozinhas entregando a cada um deles seus "bens valiosos", e também apontava onde os outros estavam. Um misto de alegria e tristeza a tomava nesse momento. Era feliz por ser uma peça importante naqueles dias de recreação, afinal, era a "guardiã" daqueles objetos, e ao mesmo tempo triste, pois não podia correr com os coleguinhas ou se aventurar na piscina. O dia chegava ao fim e ela iria pra casa como todas aquelas crianças.

Anos e anos se passaram e em todas as escolas nas quais estudou, novamente era elegida a "guardiã" dos "bens preciosos" de seus colegas de classe.

A infância passou, a adolescência também, e ela não cultivou amizades como outras crianças. Pois, naquela fase de descoberta em que o amiguinho quer ir à sua casa pra conhecer onde você mora, brincar com os seus brinquedos ou comer pipoca, ah, isso foi tirado dela, por seus pais.

Na adolescência pensou que seria diferente, que poderia cultivar novos amigos e ter essa oportunidade de outra fase de descoberta. Mas foi em vão, novamente, isso foi tirada dela, e novamente por seus pais.

A vida adulta chegou e hoje ela é bastante só, não cultivou na infância e nem na adolescência, mas a cada dia é uma nova tentativa de cultivar uma amizade sincera e duradoura até a velhice, por que não?

Ela acredita que sim, que pode ser simples assim...


Ah!!! o motivo para que ela fosse sempre eleita a "guardiã" dos "bens preciosos", é que aquela garotinha tímida e quieta usava botas ortopédicas. Não podia correr, não podia pular corda, e nem se aventurar na piscina....
Mas hoje se aventura pela vida!!!

Letícia Alves
Trilha do momento
Metade
Oswaldo Montenegro

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Meme musical...

Bem, demorei uns dias, mas cá estou eu aceitando o meme musical repassado pela Avassaladora.
Então vamos lá! Eu postei um trechinho de cada música.


Mãos a obra:

1.Escolher um cantor, dupla, grupo, como quiser;
2. A cada pergunta feita temos que escolher um título de uma música;

3. Nomear outros blogs para repassar o desafio.

1.És homem ou mulher?

Essa menina
(Tianastacia)

Só ela faz meu coração disparar

E ao mesmo tempo bater devagar, essa menina
O rastro de desejo que deixa quando passa, essa menina




2 Descreve-te

Menina Veneno
(Ritchie)

Você vem não sei de onde

Eu sei vem me amar
Eu nem sei qual o seu nome
Mas nem preciso chamar



3. O que as pessoas acham de ti?

Menina Linda
(Renato e seus Blucaps)

Menina linda eu te adoro

Menina pura como a flor
Sua boneca vai quebrar
Mas viverá o nosso amor



4. Como descreves o teu último relacionamento?

O grito
(Tianastacia)

O que eu não quero dizer

Mais uma vez
Você me obriga a gritar
Porque voltou
Eu não sou mais o seu lugar



5. Descreve o estado atual da tua relação

Acelerou
(Djavan)

Quando te vi, aquilo era quase o amor

Você me acelerou, acelerou, me deixou desigual
Chegou pra mim, me deu um daqueles sinais
Depois desacelerou e eu fiquei muito mais



6. Onde querias estar agora?

Sonífera Ilha
(Titãs)
Sonífera Ilha!

Descansa meus olhos
Sossega minha boca
Me enche de luz
Sonífera Ilha!
Descansa meus olhos
Sossega minha boca
Me enche de luz...




7.O que pensas a respeito do amor?

Um amor puro
(Djavan)

O que há dentro do meu coração

Eu tenho guardado pra te dar
E todas as horas que o tempo
Tem pra me conceder
São tuas até morrer



8. Como é a tua vida?

Nem um dia
(Djavan)


Um dia frio

Um bom lugar prá ler um livro
E o pensamento lá em você
Eu sem você não vivo
Um dia triste
Toda fragilidade incide
E o pensamento lá em você
E tudo me divide


9. O que pedirias se pudesses ter só um desejo?


Primeiros Erros
(Capital Inicial)

Se um dia eu pudesse ver

Meu passado inteiro
E fizesse parar de chover
Nos primeiros erros


10. Escreve uma frase sábia

Idade do Céu
(Djavan)

Calma

Tudo está em calma
Deixe que o beijo dure
Deixe que o tempo cure
Deixe que a alma
Tenha a mesma idade
Que a idade do céu

Respondido, repasso para os seguintes amigos:


*Mary do Sweet Delirious;
*Júlio do Alucinógeno;
*Camila do Caminhos de Camila.

Seria legal vocês responderem e assim nos conhecemos mais através das músicas!


Beijos Tempestuosos!

Agradecimento...



Bem, estou escrevendo pra agradecer ao amigo Júlio do Alucinógeno por me presentear no meu aniversário com o topo que ilustra o meu blog a partir de hoje!E os outros que aparecerão!

Obrigada Júlio!

Montanhas de Minas...



Nas Gerais as coisas vão indo...
Entre montanhas e nuvens buscando sentidos!



quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Hoje é o meu dia....



Sim, hoje é o meu dia e de mais ninguém!

Há 34 anos eu cheguei ao mundo, mas não foi em um dia de tempestade...

Mas foi um dia que começou a ter tempestades e elas foram se formando ao longo da minha caminhada, às vezes, leves brisas, outras vezez ventos mais fortes.

Minha mãe conta que ficou com medo na hora do meu nascimento, pois tinha perdido o líquido amniótico há mais de 1 semana, acreditam? E o médico disse a ela que talvez o bebê tivesse problemas.

Bom, encurtando a minha história, o bebê não teve problemas, aliás, problemas que todos bebês tem sim, mas nada grave.

E hoje sou uma Tempestade forte e alegre, meu nome vem do latim e significa alegria.

Pois bem, hoje é meu dia!



Letícia Alves


Trilha do momento do ano em que eu nasci está no vídeo abaixo:
Bee Gees
Nights on Broadway






terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

(Re)encontrando...



Dia ensolarado, lindo como nenhum outro!
Poucas horas separando o que já estava distante há alguns anos.
Coração batendo forte...
O momento se aproximava!
Se encontraram ou melhor começaram a se reencontrar.
Ele, a olha meio sem jeito, tímido... como da primeira vez.
Ela, segue aquele olhar que já conhece tão bem, mas não se lembrava da profundidade daqueles olhos.
Ele, toca seu ombro, diz que era bom revê-la depois de tanto tempo...
Ela, olha pra ele e sorri...

Não precisam de palavras, um olhar, um sorriso, um toque basta para para reacender e reviver toda a história.
Não era preciso mais nenhuma palavra, o sussurro dos lábios dele, bastaram...
E aquela tempestade, transformou-se em uma brisa suave...

Letícia Alves

Trilha do momento
Acelerou
Djavan

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Onde? II



Assim como a tecnologia nesses últimos tempos tem distanciado as pessoas, devido à frieza e superficialidade das relações. Da mesma forma ela pode ser extremamente útil para reencontros, encontros, buscas....
Dia desses aconteceu o seguinte diálogo no MSN..... (trechos)

Ele: ALOOOOOOO
Ele: oi, tudo bem?
Ela: tudo bem, e contigo?
Ele: entrei aqui só para te agradecer infinitamente
Ela: Estou bem sim!
Ele: muito, muito obrigado
Ele: não tenho nem palavras

(Pausa)

Ela: coração acelerado


(Recomeço)

Ele: podemos almoçar juntos. o que acha?
Ela:sim, podemos então.
Ele: já tá marcado então
Ele: entrei mais só para ver se tu estava e te agradecer muito
Ele:combinado então
Ela:tá certo!


(Fim)

Espera ansiosa para o dia do que será o primeiro passo da eterna busca....


Nesse caso, a tecnologia tem contribuído para a reaproximação, o reencontro, os passos em direção à concretização de uma busca....


Letícia Alves


Trilha do momento

Números

"A medida de amar é amar sem medida
A medida de amar é amar sem medida
Velocidade máxima permitida
A medida de amar é amar sem medida"


Engenheiros do Hawaii