segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Os Descendentes...





George Clooney dispensa apresentações, mas o filme, esse sim, deve ser visto, baseado no livro de mesmo nome. Não espere um filme de ação, é um drama, daqueles pessoais, que pode acontecer com qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo.

E esse cenário é o Havaí e todo o conjunto de ilhas que o cerca. Você acompanha o drama de Matt (Clooney) que se vê no meio de várias situações que tem que solucionar em um curto espaço de tempo e essas decisões afetarão a vida não só da família dele, mas de muitas pessoas.


Os descendentes é aquele tipo de filme que ao sair da sala de cinema você sai com olhos marejados e pensa sobre as lacunas que a vida tem, o tempo que temos por aqui e o que podemos fazer e que afetará não somente a nós mesmos, mas a todos que nos cercam direta ou indiretamente.

E o mais importante, o filme fala de perdão.

Recomendo!

domingo, 22 de janeiro de 2012

Vida que segue...

Vitória-régia na Praça das Águas no Parque das Mangabeiras - Janeiro 2012

No post anterior, eu falei das coisas simples da vida, como comer cerejas in natura, um grande achado pra mim. Confesso que não fiz resoluções para 2012, mas resolvi trazer comigo a vigilância para perceber e contemplar, além de viver, coisas simples, a simplicidade da vida.

O mundo anda muito conturbado, a gente às vezes acaba por entrar nesse ritmo, seja por conta do trabalho, por questões pessoais e/ou familiares, e não há tempo para contemplação e nem mesmo para estar consigo.

É preciso estar com a gente, em contato com a natureza, recarregar as energias. Se não dessa forma, como a vida tem passado rapidamente perante nossos olhos, quando olharmos para trás, pode ser tarde demais.

Penso que está sendo recorrente esse assunto - pelo menos para as pessoas que tiveram esse click há tempo, pois ontem mesmo eu li lá no blog lindo da Luma, um texto que nos faz pensar sobre isso também.

Então vamos nessa vida que segue e que nós podemos mudar o rumo a cada amanhecer.

Boa semana a todos nós!

Por Letícia Alves

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Coisas simples...

Cerejas


E é nas coisas simples do cotidiano que a surpresa me saltou aos olhos. Acostumei sempre a ver nas fotos, imagens de internet, televisão e revistas, a tão mimosa e delicada - cereja.

O paladar era sempre associado às cerejas de bolos de aniversários que remetiam sempre à minha infância, e aos aniversários em família. Coisas simples, meu pai sempre chegava com um bolo de aniversário, salgadinhos e refrigerantes, logo após seu trabalho. E então minha mãe arrumava a mesa, cantávamos parabéns e ali comíamos uma fatia de bolo, e a briga pela cereja era grande (coisas de criança), os salgadinhos sempre eram: coxinhas, mini kibes e pasteizinhos, sendo que o kibe era o preferido da mamãe.

E então, em um dia como outro qualquer, entrei no sacolão em frente ao me trabalho para comprar alguns legumes e alguma fruta. De repente, ao lado dos morangos tão vermelhos e suculentos e de uvas tão formosas, lá estavam elas - as cerejas, in natura, brilhantes, vermelhas.


Abri um sorriso e as comprei. Trazendo para casa um pequeno tesouro. Eu experimentaria um novo paladar e traria belas recordações de infância.


Quando as lavei e coloquei a primeira na minha boca, um misto de alegria, saudades e êxtase apareceram naquela primeira mordida em uma fruta tão delicada e pequena.


E nessa coisa simples, meu dia foi mais radiante, feliz, e agora tenho mais sensações agregadas a tão bela fruta.

Por Letícia Alves

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

sábado, 7 de janeiro de 2012

Poesia...



Às vezes, para não dizer sempre, a felicidade vem sempre nos pequenos detalhes e quando você menos espera.

Alguém me perguntou um dia se escrevo poemas, eu hesitei e depois de um tempo respondi que escrevia o que sentia, mas que não eram poesias... E eu estava errada. Ao assistir o filme Poesia (indicação da Lu), eu pude perceber, vivenciar e ter certeza que sim, eu escrevo poesia.

Esse belo e singelo filme, mostra através de uma senhora e sua vida, que a poesia está na observação do cotidiano e na forma como vemos e vivemos cada momento.

A cada dia perceberemos, por exemplo, uma nuvem de uma forma que não a tínhamos visto anteriormente, pois nem nós e nem a nuvem somos o mesmo no segundo instante.

Sim, eu escrevo poesias. E você?

Por Letícia Alves

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

(Re) começo... Início...



Recomeçar ou iniciar?
Dúvidas que pairam no horizonte.
Recomeçar é voltar lá naquele ponto e dar sequencia.
Iniciar é o marco zero.


Por via das dúvidas,
Eu recomeço,
E inicio.




Por Letícia Alves

domingo, 1 de janeiro de 2012

Esmaltes e Ceia de Natal...

E vamos para mais uma blogagem coletiva promovida sempre pela Fernanda Reali. O tema dessa semana é Esmaltes e Ceia de Natal. 

Não faço ceia de Natal e nem Reveillon, mas sempre um lanche simples com minha irmã e pronto.

Então hoje eu fiz o famoso Bolo da Fortuna, o link da receita é esse aqui, mas ele fica pronto no microondas em 3 minutos e no forno convencional em cerca de 3o minutos.

O esmalte que escolhi para a primeira semana de Janeiro, é o Figo da Coleção Novo 70 da Impala.

Agora vamos às fotos?






O esmalte
O bolo


Olha só o detalhe




Beijos e um ótimo 2012 para todos.