segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Coisas simples...

Cerejas


E é nas coisas simples do cotidiano que a surpresa me saltou aos olhos. Acostumei sempre a ver nas fotos, imagens de internet, televisão e revistas, a tão mimosa e delicada - cereja.

O paladar era sempre associado às cerejas de bolos de aniversários que remetiam sempre à minha infância, e aos aniversários em família. Coisas simples, meu pai sempre chegava com um bolo de aniversário, salgadinhos e refrigerantes, logo após seu trabalho. E então minha mãe arrumava a mesa, cantávamos parabéns e ali comíamos uma fatia de bolo, e a briga pela cereja era grande (coisas de criança), os salgadinhos sempre eram: coxinhas, mini kibes e pasteizinhos, sendo que o kibe era o preferido da mamãe.

E então, em um dia como outro qualquer, entrei no sacolão em frente ao me trabalho para comprar alguns legumes e alguma fruta. De repente, ao lado dos morangos tão vermelhos e suculentos e de uvas tão formosas, lá estavam elas - as cerejas, in natura, brilhantes, vermelhas.


Abri um sorriso e as comprei. Trazendo para casa um pequeno tesouro. Eu experimentaria um novo paladar e traria belas recordações de infância.


Quando as lavei e coloquei a primeira na minha boca, um misto de alegria, saudades e êxtase apareceram naquela primeira mordida em uma fruta tão delicada e pequena.


E nessa coisa simples, meu dia foi mais radiante, feliz, e agora tenho mais sensações agregadas a tão bela fruta.

Por Letícia Alves

Um comentário:

VELOSO disse...

Primeira vez que vejo as cerejas assim ao natural!