quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Meu personagem favorito...


Há diversos atores e seus personagens que me encantaram e ainda me encantam, é difícil escolher um só, mas dentre todos, resolvi escolher o personagem de Nicolas Cage, no filme "Presságio",  o professor de astrofísica John Koestler.
A ansiedade em salvar o mundo de catástrofres que foram previstas em uma mensagem codificada de 1959, e a corrida contra o tempo, me fizeram gostar desse personagem. Talvez pelo talento de Cage, mas também por que eu quando tenho certos presságios, realmente tento me desvencilhar do que pode ocorrer e sempre dá certo. 



Seja confiar em nossa intuição, em um ente superior (aqui não vou entrar no mérito religioso), nos coloca à frente de várias questões.
Seria realmente verdade?
Só assistindo à esse excelente filme para saber de todas as respostas e também refletir sobre o destino que o personagem tem no filme.




Bom filme a todos!

*Esse post faz parte da Blogagem Coletiva - "Meu personagem favorito", promovida pelo blog Fio de AriadnePara conhecer os outros participantes, clique aqui

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Não vá embora...


E no meio de tanta gente eu encontrei você
Entre tanta gente chata sem nenhuma graça, você veio
E eu que pensava que não ia me apaixonar
Nunca mais na vida

Eu podia ficar feio só perdido
Mas com você eu fico muito mais bonito
Mais esperto
E podia estar tudo agora dando errado pra mim
Mas com você dá certo

Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais
Por isso não vá, não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais

Eu podia estar sofrendo caído por aí
Mas com você eu fico muito mais feliz
Mais desperto
Eu podia estar agora sem você
Mas eu não quero, não quero

Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais
Por isso não vá, não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais 


*Este post faz parte da Blogagem coletiva - "Dedique uma canção a quem você ama", promovida pela Espaço Aberto.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Riscos....





"O ser só acontece quando você assume riscos, quando você enfrenta o perigo. 
E o amor é o maior perigo que existe."


Palavras de Osho

domingo, 26 de setembro de 2010

Abraço & Desejo


Desejo aquele abraço,
Que fez calar minha angústia,
E o coração dolorido.

Desejo aquele abraço,
Que acalmou minh'alma,
E que me fez respirar suavemente.

Desejo aquele abraço,
Confortante,
Quente e amoroso.

Desejo aquele abraço,
Que me fez suspirar,
E acreditar que era,
Possível amar.

Por Tempestade

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Autenticidade...


Quando era menina, eu sempre falava o que estava pensando, e achava (ainda acho) que estava fazendo um bem, e dando o meu melhor.
Minha mãe muitas vezes me chamou a atenção, dizendo: "Você não pode falar tudo que pensa, pode ferir alguém." E então eu ia para o meu canto e refletia sobre o acontecido, será que era isso mesmo? Que eu iria ferir alguém com as "verdades" que eu dizia?
O tempo e o mundo se encarregaram de me mostrar e "ensinar" que as pessoas realmente não estão preparadas ou que a lógica do mundo é que você não tem que falar o que pensa. E a vida foi seguindo....
Mas ainda hoje eu sempre me pergunto: "Por que devo omitir a minha opinião?" pra agradar os outros? 
Não, muito obrigada! Melhor ser autêntica. E claro que devido a minha tamanha autenticidade, minha mãe já dizia: "Cuidado, vai espantar as pessoas."
E não é que é isso mesmo?
E as pessoas se vão sempre...
Mas o bom dessa história é que outras pessoas poderão vir e o mundo continua a girar.

 Por Letícia Alves

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Urgências...

E há algum tempo eu disse aqui sobre a efemeridade de certas coisas na vida, mas também compreendo que a vida é feita de fases, ciclos e ela passa assim como o mundo que gira.
Hoje pode-se estar no ápice e em outro momento em vertiginosa queda, mas nada se compara a possibilidade de recomeços, redescobertas e novos caminhos para se trilhar.
Talvez o meu jeito intempestivo, agitado, apressado me cause muitas vezes a sensação que as coisas estão paradas, imóveis ou mesmo sem uma direção adequada.
E me pergunto sempre se eu sou apressada demais ou se tudo anda mesmo devagar. Sou muito prática e flexível no dia-a-dia, mas nas relações humanas eu tenho uma certa "pressa" ou seria aquela vontade sempre recorrente de estar junto, complementando um ao outro e aproveitando cada segundo como se fosse o último.
Reflexões que faço sempre, mas não encontro respostas.
Então sigo vivendo um dia após o outro mas sempre muito apressada, mas com qualidade sempre.




Mas é porque eu tenho: 

"Uma urgência inadiável de ser feliz. Ser feliz agora, já, imediatamente."

Caio Fernando Abreu



domingo, 19 de setembro de 2010

O melhor de mim



O melhor de mim pode estar aqui ou não, 
Nas minhas atitudes ou no simples olhar.


Na conversa com os amigos,
E com a risada estridente,
Na pressa do caminhar,
E na mão estendida para ajudar.

O melhor de mim,
É o que habita sempre,
No meu coração,
O amor incondicional.


O melhor de mim eu,
Sempre tento extrair,
De dentro dos meus sonhos,
Da minh'alma.



O melhor de mim é intempestivo,
Criativo,
Ansioso,
Inquieto, 
Mas sempre amoroso.

Em resumo,
O melhor de mim,
É o amor e a amizade verdadeiros.

Por Tempestade




*Esse texto faz parte da Blogagem coletiva O melhor de mim promovido pela Elaine do blog Um pouco de mim em comemoração ao aniversário do blog. Parabéns Elaine!
Os outros participantes você conhece aqui.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades...



Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,             
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

  
Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.


O tempo cobre o chão de verde manto, 
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

  
E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Luís de Camões

sábado, 11 de setembro de 2010

Quem é o seu amante?



Muitas pessoas têm um amante e outras gostariam de ter um. Há também as que não têm, e as que tinham e perderam. Geralmente, são essas últimas que vem ao meu consultório, para me contar que estão tristes ou que apresentam sintomas típicos de insônia, apatia, pessimismo, crises de choro, dores etc.

Elas me contam que suas vidas transcorrem de forma monótona e sem perspectivas, que trabalham apenas para sobreviver e que não sabem como ocupar seu tempo livre. Enfim, são várias as maneiras que elas encontram para dizer que estão simplesmente perdendo a esperança. Antes de me contarem tudo isto, elas já haviam visitado outros consultórios, onde receberam as condolências de um diagnóstico firme: "depressão", além da inevitável receita do anti-depressivo do momento.

Assim, após escutá-las atentamente, eu lhes digo que não precisam de nenhum anti-depressivo; digo-lhes que precisam de um AMANTE!!! É impressionante ver a expressão dos olhos delas ao receberem meu conselho. Há as que pensam: "Como é possível que um profissional se atreva a sugerir uma coisa dessas"?!  Há também as que, chocadas e escandalizadas, se despedem e não voltam nunca mais. Aquelas, porém, que decidem ficar e não fogem horrorizadas, eu explico o seguinte:

"AMANTE" é aquilo que nos "apaixona", é o que toma conta do nosso pensamento antes de pegarmos no sono, é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir. O nosso "AMANTE "

é aquilo que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta. É o que nos mostra o sentido e a motivação da vida. Às vezes encontramos o nosso "AMANTE" em nosso parceiro, outras, em alguém que não é nosso parceiro, mas que nos desperta as maiores paixões e sensações incríveis. Também podemos encontrá-lo na pesquisa científica ou na literatura,

na música, na política, no esporte, no trabalho, na necessidade de transcender espiritualmente, na boa mesa, no estudo ou no prazer obsessivo do passatempo predileto....Enfim, é "alguém!" ou "algo" que nos faz "namorar a vida" e nos afasta do triste destino de "ir levando"!..

E o que é "ir levando"? Ir levando é ter medo de viver. É o vigiar a forma como os outros vivem, é o se deixar dominar pela pressão, perambular por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastar-se do que é gratificante, observar decepcionado cada ruga nova que o espelho mostra, é se aborrecer com o calor ou com o frio, com a umidade, com o sol ou com a chuva. Ir levando é adiar a possibilidade de desfrutar o hoje, fingindo se contentar com a incerta e frágil ilusão, de que talvez possamos realizar algo amanhã.

Não se contente com "ir levando"; procure um amante, seja também um amante e um protagonista da sua vida.

Acredite, o trágico não é morrer, afinal a morte tem boa memória, e nunca se esqueceu de ninguém. O trágico é desistir de viver... Por isso, e sem mais delongas, procure um amante...

Por Jorge Bucay

Psicólogo

 *Recebi por e-mail!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Eu acredito....


Eu acredito em recomeços,
Eu acredito que a cada dia,
Tudo muda.

Eu acredito que a força,
Está em nosso interior,
Em nossa fé.

Eu acredito que a vida,
Sempre nos reserva o melhor,
Pois buscamos por isso.

Eu acredito que o amor,
Supera qualquer dor.

Eu acredito que se a semente,
Pode dar vida à uma bela e forte árvore,
Que se temos uma semente boa em nós,
Podemos ser fortes.

Eu acredito também que minha força,
Vem de Deus e da possibilidade de a cada dia recomeçar..... 

Por Letícia Alves

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Dias.....


E o calendário marca o dia 03,
Um mês se passou e a saudade é muito grande, 
A dor é ainda forte,
Levará tempo para cicatrizar!
Esquecer, jamais! 

E ás vezes me pego lembrando das coisas engraçadas que ela fazia,
E da voz dela me chamando....

Então digo,
Que o dia de hoje,
Vai ser melhor,
Que o de ontem.

E assim vou seguindo......


Saudades mamãe!