quarta-feira, 29 de junho de 2016

Dias Perfeitos - Raphael Montes

Imagem retirada da internet 

Foram exatas 4 horas para que eu iniciasse e finalizasse essa leitura. Poucos livros me prenderam a atenção para que eu lesse dessa forma.

Nesse segundo livro de Raphael Montes, a história gira em torno de dois personagens principais, Téo, um rapaz tímido, introspectivo, estudante de Medicina e Clarice, uma jovem descolada, livre, estudante de História da Arte. O que os dois têem em comum? Nada a princípio, mas ao desenrolar da história, talvez percebamos um outro movimento que os une e ao mesmo tempo os separam. 

Nessa narrativa que considero de movimento grande e de nível psicológico, o autor nos leva por vários espaços do Estado carioca, Copacabana, Lapa, Ilha Grande e por aí vai. O amor que envolve a vida de Téo, mas que amor é esse, que provavelmente sufoca, amedronta, e ao mesmo tempo confronta o ser humano com o que ele tem no mais íntimo de seu ser.

É uma história de obsessão, sequestro, amor?, conflitos, mas que na sua ficção prende o leitor, ávido para saber o final. E também por que há um anão na capa do livro.

Muitas pessoas que o leram, disseram de furos no enredo ou que tais fatos eram impossíveis de se acontecer. Temos que lembrar que é uma ficção, mas do meu ponto de vista, nos dias atuais, nos quais alguma parte da humanidade é tão má, sim, acredito que seja possível acontecer.

Acredito que o roteiro nos envolve como um filme ou uma série.

Recomendo a leitura para quem quer conhecer novos autores e que não tenham preconceito literário.


Por Letícia Alves 

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Saudades no inverno...


Imagem retirada do site http://www.lifeofpix.com/

É, Mãe!

Tenho sentido tanto a sua falta.
Das suas risadas, dos seus conselhos, dos seus resmungos (eram bonitinhos), do seu abraço forte, sua benção a cada saída.

Sempre nessa época, o frio, o inverno, me remetem àquela semana em que você saiu de casa, e foi para o hospital e de lá saiu para o descanso eterno. Foram dias e dias de angústia, orações, conversas ao pé do seu ouvido, enquanto ainda estava desacordada, e depois conversas em mímica, mas seus olhos sempre falavam muito mais do que quaisquer palavras.

Vou me lembrar por toda a vida quando lhe disse: "Anda mãe, vamos voltar para casa, temos um doutorado para fazer." Isso lá em 2010, ainda não tinha nem uma ideia para pesquisar, mas apenas o desejo de lá chegar. E a sua resposta: "Estou muito cansada, já fiz uma graduação e um mestrado com você. Agora é com você!" E assim foi, em 2013 passei no processo seletivo e agora estou às portas de concluir.

Você não estará em casa me esperando depois da defesa, para que eu lhe conte todas aquelas firulas acadêmicas, e você ao fim, falar que tudo bem, e me perguntar se estou com fome e cansada. E sorrir comigo, quando mostraria a versão final encadernada e mostrar seu nome lá na dedicatória.

É, Mãe!

Mas mesmo assim sentirei que você estará aqui comigo e que tudo isso acontecerá. E ao fim, falarei quando ver a versão final encadernada: "Mãe, terminei! Olha seu nome aqui mais uma vez."


Ah, vida...

Mas temos que seguir...

Saudades sem fim!

Por Letícia Alves 

terça-feira, 21 de junho de 2016

O Vilarejo - Raphael Montes


Imagem retirada da internet

Meu exemplar autografado em 22/08/2015

Mais uma obra desse jovem autor, Raphael Montes - autor de Suicidas, Dias Perfeitos e O Vilarejo. Já falei aqui de Suicidas e hoje falarei d'O Vilarejo.

Como sempre vamos ao encontro de um texto narrativo bem escrito e que prende a atenção. Em O Vilarejo, Montes traz 7 contos, o que já difere de seus livros anteriores, não é um livro policial e sim uma narrativa acerca do ser humano e suas paixões. Para tanto, ele se utiliza dos 7 pecados capitais, representados no livro por 7 demônios: Asmodeus (luxúria); Belzebu (gula); Mammon (ganância); Belphegor (preguiça); Satan (ira); Leviathan (inveja) e Lúcifer (soberba).

Já no início o autor nos conta que podemos ler esses contos de forma aleatória, mas se lermos na ordem disposta no livro, também é uma boa forma, pois os personagens irão se inter relacionando, bem como suas histórias. É um livro curto, apenas 96 páginas, e você pode ler em uma sentada ou em uma viagem de ônibus/metrô. Confesso que demorei alguns dias, não por ser uma leitura difícil, mas para que ao final de cada um dos contos, eu parasse e pudesse digerir aquelas informações. A cada fim de um conto você fica assim, digamos, de boa aberta.

Montes mostra mais uma vez que sabe contar histórias, nos oferecendo nessa seleção, histórias que ao nosso ver são horripilantes, terríveis e macabras, mas que se pararmos para analisar ao final da leitura, elas estão aí no nosso dia-a-dia e bem possível de acontecer.

Portanto, entre no vilarejo sem medo e venha se divertir e refletir.

Por Letícia Alves 

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Céline Dion - Biografia


imagem retirada da internet 

Em uma madrugada de domingo (06/06/2016), quando já pensava em desligar a tv, de repente começou um filme - dublado - mas que me chamou a atenção. Era a biografia de Céline Dion.

Conheci Céline antes de fazer meu curso de francês, lá em 2003, naquela época, a professora levava canções francesas e também do mundo francófono. Ouvi Céline no filme Titanic, e também em execuçãos nas rádios, e claro, no curso de francês.

Como a maioria dos artistas, teve uma infância difícil, porém, já era um prodígio, em uma família de músicas com mais 13 irmãos. O filme trata da infância até seu casamento e também do nascimento do seu primeiro filho. É uma história de lutas, persistência e de vitórias, passando por vários percalços.

É sempre bom ver histórias de lutas assim inspiradoras, para que a cada dia a gente possa levantar, agradecer a Deus por nossas batalhas, mas também por nossas vitórias diárias.

Quem quiser saber mais um pouco da cantora, sua página na Wikipédia é bem bacana.


O filme completo está no Youtube em 4 partes:






Vale a pena assistir!


Por Letícia Alves