Dom Quixote de La Mancha - Miguel de Cervantes



CERVANTES, Miguel de. Dom Quixote de La Mancha. São Paulo: Nova Fronteira, 2016. 2v. 


Desde criança ouvia muito sobre Dom Quixote. Assisti desenhos animados e também os adultos contando. Lembro-me que o desenho que passava na extinta TV Manchete, era melancólico e triste. Mas como eu era criança, não ligava muito para isso, sempre estava torcendo por Dom Quixote e sua amada Dulcinéia, e claro, ria muito com Sancho Pança.

Adquiri o livro em 2016, no terceiro ano de doutorado, então, claro que ele ia ficar paradinho na estante, ao lado de tantos outros, me aguardando pacientemente. E como todo bom leitor que se preze, a gente tem mais livros não lidos do que lidos (tem um texto que fala sobre isso, mas posso abordar isso em outra postagem), e lá ele ficou.

Bem no comecinho de 2018, para dizer nos primeiros dias de Janeiro, passeando pelo Youtube, descobri que existiam canais literários ou como costumam falar, os Booktubers. Para mim, uma novidade, já que sempre usava o Youtube para ver clipes musicais, receitas, algum programa e só. Foi aí que conheci o canal do Humberto (claro, que depois dele, por indicação e relacionados, me deparei com muitos outros), que se chama Primeira Prateleira. Gostei de cara do Humberto e da sua proposta, e lá em alguns dos vários vídeos que comecei a ver, tinha o dele com metas para leituras em 2018. Dentre eles, o Dom Quixote, e ele sempre muito simpático, nos convidava a ler com ele, não só esse livro, mas os outros também. Diante de vários interessados, ele montou um grupo no Facebook e um cronograma de leitura conjunta para esse clássico, e então, chegou a minha vez de ler essa estória.

A estória me cativou em todos os seus aspectos, mesmo que no segundo volume, eu tenho me demorado mais, talvez o cansaço de ler mais de 1000 páginas, mas não tirou o brilhantismo desse clássico. Ri muito das trapalhadas de Dom Quixote e Sancho, mas também me emocionei e fiquei triste com algumas outras circunstâncias. Agora adulta posso entender o sentimento que eu tinha quando criança ao assistir o desenho animado.

Como todo clássico, a narrativa de Dom Quixote possui muitas relações com o nosso tempo. Essa é uma das características de um clássico, ser atemporal. Vou destacar dois trechos que me chamaram atenção, entre tantos que marquei. Os que vou listar aqui se encontram no segundo volume da obra.


""É minha intenção, limpar esta ilha de todo gênero de imundície e de gente vagabunda, folgazã e mal-entretida. Quero, com efeito, que saibais, amigos meus, que a gente vadia e preguiçosa é na república o mesmo que zangões nas colmeias, que comem o mel feito pelas abelhas laboriosas. Penso favorecer os lavradores, guardar as preeminências dos fidalgos, premiar os virtuosos e, sobretudo, ter respeito à religião e à honra dos religiosos. Que vos parece isto, amigos? página 386 - Sancho Pança falando sobre seu governo na ilha da Barataria. Bem atual!"


"Se o governador sai rico de seu governo, dizem que foi um ladrão; se sai pobre, que foi tolo e mentecapto. página 435 - Como sempre bem atual!"


No livro você irá encontrar aspectos políticos, econômicos, sobre amor, viagens, literatura e tantos outros temas caros a nós. 

Finalizei a leitura agradecida pela oportunidade de ler esse clássico e conhecer mais um pouco da literatura universal. 

Sobre a tradução: a edição da Nova Fronteira usou a atualização de alguns pontos do texto, confesso que me incomodou em alguns momentos, mas não prejudicou meu entendimento da obra. Mas depois da leitura, adquiri o box com dois volumes do selo Penguin da Companhia das Letras. Há outra edição boa da Editora 34. O importante é que todos leiam esse texto que achei muito bom! 

Imagem retirada da internet 


Para complementar a leitura, deixo um vídeo, onde a professora Maria Augusta da Costa Vieira, traz valiosas informações sobre esse clássico.






Avaliação: 


Recomendo a leitura!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Histórias não (ou mal) contadas: Revoltas, Golpes e Revoluções no Brasil - Rodrigo Trespach

Rubem Alves Essencial : 300 pílulas de sabedoria

Mapa de influências literárias