[CONTOS] O barril de amontilado - Edgar Allan Poe






imagem retirada da internet

POE, Edgar Allan. Medo Clássico: contos inéditos do autor. Rio de Janeiro: Darkside Books, 2017. Volume 1, p.97-106.


Continuando o projeto #12mesesdePoe (estou atrasada com as postagens, hoje falo do conto de Março e depois virá o de Abril), no mês de Março, a leitura foi do conto O barril de amontilado.


Escrito em 1846, e está na temática "Narradores Homicidas" no livro da Darkside que dividiu os contos em grupos temáticos. 

Esse conto como tantos outros de Poe nos coloca a questão da humanidade e seu lado mais obscuro. Pautado pela sedução e vingança, Fortunato será a vítima de seu próprio comportamento. 

O trecho a seguir nos da uma dimensão interessante das questões referentes à vingança lenta, premeditada e dolorida:

Quero deixar claro que, nem por palavras ou atos, dei motivos para Fortunato duvidar de minha boa vontade. Continuei, como de costume, a sorrir para ele, que jamais percebeu que agora eu sorria imaginando sua destruição. p.97

Mais uma vez Poe nos mostra o lado sombrio do ser humano e o que ele é capaz de fazer. Por mais que saibamos que boa coisa não virá, sempre somos surpreendidos com o desfecho de cada conto. Simplesmente terminei de ler o conto de boca aberta, tá certo, que estou conhecendo Poe agora, então a minha surpresa talvez seja de iniciante. Mas parei no final do conto e em uma angústia. Mas revela muito do ser humano, do sentimento de vingança, ódio e rancor.

Quem quiser conhecer mais do autor, indico ler os contos. Como são textos mais curtos, não tem como fazer realmente uma resenha, pois senão a gente conta a história toda.

Corre lá pra ler!

Avaliação: 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O peso do pássaro morto - Aline Bei

Versos de amor...