O peso do pássaro morto - Aline Bei




BEI, Aline. O peso do pássaro morto. São Paulo: Nós, 2017. 168 páginas



Um romance? Um diário? Um poema? ou uma prosa poética? 

Aline Bei em seu romance de estreia, nos traz através de uma linguagem poética e ao mesmo tempo do cotidiano, o passar dos anos para a nossa personagem, que começa a sua caminhada aos 08 anos de idade e a acompanhamos até os 52 anos.

Mistura de narrativa, diário e conversa entre o leitor e o personagem, O peso do pássaro morto fala de perdas e de encontros, achados e desencontros. Vida cotidiana e descobertas na rotina que instituímos. Fala de temas pesados, mas que enfrentamos, não importa como. Mas também nos mostra como decisões podem afetar toda a nossa vida e de quem está ao nosso redor.

A escrita da autora traduz o que não sabíamos nomear, mas sentíamos, como na definição do benzedeiro:

"a carla não sabia o que era
benzedeiro.

--é uma pessoa
que arruma qualquer coisa dentro da gente sem precisar
        abrir com faca. "   (p.12)

A personagem aos 08 anos define muito bem, pelo menos para mim, o que é o benzedeiro e acredito para muita gente. O lirismo da definição, a inocência da criança, nos faz sorrir, diante do fato.


Depois pergunta à sua mãe, o que é morrer. E sua mãe responde:

"-- o bife,
é morrer, porque morrer é não poder mais escolher o que 
        farão com a sua carne.
quando estamos vivos, muitas vezes também não escolhemos.
mas tentamos." (p.21)


Durante o livro, a forma como as palavras são dispostas nas páginas (reproduzi as duas passagens acima, como elas estão impressas no livro), a ortografia, a linguagem nos conduz pelo amadurecimento e envelhecimento da personagem e também de tudo que a cerca. Sua relação com a família, amigos, trabalho, filho, cachorro e com o mundo.

É daqueles livros que você lê de uma sentada só, mas vai ficar dias e dias a fio pensando sobre ele e a leitura estará com você por muito tempo. Livro bom é assim! Espero por outras obras da autora!

Leitura impactante e necessária! Não deixemos que haja o peso de um pássaro morto em nossas vidas!

Recomendo a leitura!



Avaliação: 



Comentários

Sandra Mendes disse…
Le, eu adoro livros assim!
Fiquei com vontade de ler. <3

Beijos!