domingo, 30 de julho de 2017

A vida do livreiro A.J. Fikry - Gabrielle Zevin

Esse livro estava na minha estante provavelmente desde a data de lançamento dele no Brasil, ou seja, no ano de 2014. O fato é que de 2013 a 2017, estive envolvida com o doutorado, e então a partir da agora, as leituras de lazer voltarão e com força total (assim espero). Na retomada, eu tenho escolhido livros mais curtos e leves, para então na sequência ir para as leituras maiores e mais complexas. Então, vamos ao livro!


Imagem retirada da internet
A vida do livreiro A.J. Fikry é um livro curto, tem 186 páginas e foi editado no Brasil pela Editora Paralela. Não conheci a autora - Gabrielle Zevin. Acredito que comprei esse livro, assim como outros que estão relacionados à temática do livro, leituras, livrarias, bibliotecas, por que são textos, que particularmente gosto muito. Aprecio conhecer a visão do autor acerca da temática, e então me apareceu um livreiro.

O núcleo principal da história é composto pelo livreiro - A.J. Fikry, Amelia Loman, a representante de uma editora e a filha de A.J. O improvável acaba por acontecer! Pois quem diria que o livreiro da pequena Alice Islands sucumbiria às novidades literárias e ao novo, no caso, nova representante editorial.

O livro se divide em duas partes, e podemos dizer que a abertura de cada capítulo, vem a partir de um trecho de livro, escolhido pelo A.J., frases, citações de títulos de livros, vão aparecendo ao longo da leitura, pois o cenário para a história, envolve a livraria de A.J. e todos os personagens que de alguma forma têm no livro e na leitura algum tipo de relacionamento.

O desenrolar da história vai nos mostrando como A.J. passa de um livreiro carrancudo para alguém sensível, amoroso (na verdade, sempre foi amável), e a leitura sempre como um condutor para a aproximação das pessoas, o livro como objeto de prazer, e de companhia.
A transformação de várias vidas em Alice Island a partir dos livros e das pessoas que circulam pelo meio deles. Ao final é uma declaração de amor e afeto aos livros e às transformações a partir do nosso encontro conosco e com os outros a partir da magia da leitura.

É uma leitura, leve, gostosa, sensível, ideal para quem ama os livros, a leitura e tudo que cerca esse mundo tão mágico da leitura. 

E como está na capa do livro "Nenhum homem é uma ilha; cada livro é um mundo." Concordo perfeitamente com essa frase!


Recomendo!

Por Letícia Alves


Nenhum comentário: