domingo, 13 de dezembro de 2015

Do cotidiano...


imagem retirada da internet


Paisagens e/ou olhares nos fogem no cotidiano.

Dia desses andando pela rua voltando do trabalho, ouvi um som que parecia vir de um radinho a pilha.

Estranhei, pois há anos não escuto e/ou vejo esses aparelhos, pois com tanta "modernidade", não é comum vê-los, tampouco ouví-los. 

Para minha surpresa, o som emanava de um desses aparelhos, nas mãos de um senhor. Ele sentado na porta da sua casa, ouvia atentamente as notícias, no seu radinho a pilha.

Passei por ele, e então ele me dirigiu o olhar e disse: "Boa tarde!", e eu respondi:"Boa tarde!"

E lá se vão duas raridades que fogem do nosso cotidiano: o radinho a pilha e o cumprimento do fim de tarde entre desconhecidos.



Por Letícia Alves 

2 comentários:

Ladyce West disse...

Envelhecimento simultâneo... tem certeza de que você não havia entrado numa realidade paralela? Interessante sua observação.

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Letícia.
Até sorri.
Ainda há pouquíssimo tempo lembrei do radinho a pilha que a "modernidade" atirou nem sei bem para onde.
Aqui onde vivo ainda é corrente o cumprimento entre desconhecidos na rua e, acaba que se passa a conhecer, muitas vezes, só "do cumprimentar".

abç