domingo, 9 de dezembro de 2012

Chuva...



Hoje eu tomei chuva,
Não por que eu tinha me esquecido da sombrinha,
Mas por que queria sentir na pele aquelas gotas frias e cristalinas.

A alma agradeceu,
Ventos,
Gotas,
Chuva,
Emoção.

Um sabor de vida,
De seguir em frente,
De não se abater.

Esperança que renasce,
Assim como a natureza,
Que agradece a chuva,
E renasce esplendorosa.

Por Letícia Alves

3 comentários:

CE disse...

Ô chuva, mande rios de esperança, please!

Gostei muito :)

Daniel disse...

A impressão é que ela limpa. É pura vida e poesia.

Daniel

deise disse...

E com o calor que anda fazendo, tomar chuva é uma excelente ideia. Lindo poema!