domingo, 1 de abril de 2012

Ventos distantes...



Aqueles ventos que sopravam meus cabelos,
Traziam felicidade sem par.
Dessas sem nome, 
Mas que se sente ao longe.


Ventanias distantes,
Presentes no mesmo instante,
Do bater de um coração,
Que sorri em seguida.


Um vento que leva,
Ao longe, qualquer coisa,
Que não há presteza.


Ventos,
Cheguem,
E me façam,
Sorrir.


Por Letícia Alves




Um comentário:

C. disse...

Que venha um vento pra baguncar o coreto, sister :)))))))))))))))