O Artista

Cena de O Artista


E em um belo início de noite, num sábado quente de fevereiro, fui mais uma vez fazer um programa que gosto muito: ir ao cinema.

O filme escolhido foi O Artista, sim, aquele mudo e em preto e branco em pleno século XXI. Momento de 3D, quiçá 4D e seus óculos que prometem uma visão muito além do que você verá na telona.

E quando entrei na sala aconchegante de um dos últimos cinemas de rua de Belo Horizonte, e após um trailler, me senti na década de 30, vendo um filme, imaginativo, divertido, emocionante e que com certeza me cativou.

Não preciso dizer da grande ideia desse cineasta até então desconhecido do público e o próprio Dujardin. Pra mim foi um dos melhores filmes que vi nesses últimos tempos.

Superou minhas expectativas e sai leve do cinema, com uma sensação de pertencer a outro tempo.

Recomendo!

Comentários

C. disse…
Quero assistir também :)

Ontem vi O Gato de Botas, muito fofo!


Beijosssssssssssssssssss
Daniel disse…
O melhor de ver o filme então deve ser sair desses tempos e voltar nas décadas passadas... sempre me senti um antigo.

Tenho certeza que irei gostar do filme.

Daniel
Ernani Netto disse…
Parabéns pelos seus 4 anos de blog... sempre bom te ler aqui e facebookar contigo!

Bjaum
Mylla Galvão disse…
Parabéns meio atrasado Lê!!!

Vem comemorar comigo, no Vidas...

Tem concurso lá!

bjinhos

Postagens mais visitadas deste blog

Vencendo etapas...

Cartas de amor

Olhos de Carvão - Afonso Borges