Amanhecer...



Amanhecer tardio,
Vermelho intenso,
Coração teso.


Caminhos deslumbrados,
Passos não dados,
Vida em rumo.


Brilhante alvorecer,
Perfume nas mãos,
Flores no vão.


Alma que canta,
Sentidos desprovidos,
De sentimentos desnudos,
Do amor que cala.


Por Letícia Alves

Player - Baby Come Back

Comentários

Luma Rosa disse…
Letícia, estou aqui no seu blogue colocando a leitura em dia e apreciando essa última poesia que diz do sentimento de impotência que muitas vezes nos invade. Talvez nem tudo tenha sido feito, mas há de saber que nada é por acaso. Beijus,
Por aqui amanheceu, acho até que finalmente a primavera chegou...

Postagens mais visitadas deste blog

Vencendo etapas...

Cartas de amor

Olhos de Carvão - Afonso Borges