quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Lâmina...



A lâmina fria de aço corta, fatia, separa...
Sentimentos gélidos...
Cálidos em minh'alma.


Tênue linha desconhecida.
Sem limites.
Contemplativos.


Choro que esvai,
Pensamentos absortos.
Tristeza que segue.


Novos caminhos,
Trilhas desconhecidas.


Flores,
Chuva,
Trovões...


Tempestade que se aproxima.




E vivo em constante turbulência interna.


Ventos que sopram,
Árvores que caem.
Caminhos sem volta.


Grito que ecoa,
No vazio oco da noite enluarada.




Por Letícia Alves

Um comentário:

Fernanda disse...

Vem fazer Tempestade na minha vida! *o*


Leeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeth, quero bolinho de queijo