20 anos...


E era 21 de Outubro de 1991.

Feira de Ciências na escola.

Ela: 16 anos e muitas expectativas sobre o amor, profissão, e o mundo...

Ele: 20 anos, um quase adulto, Sargento do Exército Brasileiro, alguns planos, outros projetos, e algumas indecisões.

O que os olhos dela viram nos dele: ela se apaixonou...

O mundo que os cercava: ilusões adolescentes, feiras de ciência, campeonatos de futebol, vôlei e amigos em comum.

O encontro: peça do destino.

Por que? Ele procurava a menina que havia conversado com ele no dia anterior.

A resposta que a vida deu: Ela não foi à feira de ciências, por que sua avó adoeceu.

Momento decisivo: troca de telefones e uma distância quase superável.

Por que? Ele partia em missão para a fronteira com a Colômbia.

Meses que se passaram: cartas trocadas, telefonemas e encontros fortuitos.

Separações, voltas, desatinos e anos foram passando.

Hoje, 20 anos depois daquele encontro.

Ela: 36 anos, poucos sonhos, metas profissionais, perda de entes mais queridos (seus pais), não tem expectativas com o mundo e sonha com o desenvolvimento da sua profissão, viajar, viajar. E o amor? ele não veio, ela não se casou, ela não tem filhos e não os quer, e olha sempre pela janela, o horizonte perdido. Ela quase o perdeu por duas vezes, quando Ele esteve à beira da morte.

Ele: 40 anos, poucos sonhos, metas profissionais, perda de alguns entes queridos (seu pai), poucas expectativas com o mundo, várias companheiras, não se casou, não tem filhos, olha pela janela, o horizonte perdido. Ainda quer se casar, mas não quer filhos.


20 anos: os dois ainda se encontram espaçadamente, amigos confidentes, Ele sempre diz a Ela que ela é a única pessoa que está ao seu "lado" nesses 20 anos, mesmo depois de tudo que já aconteceu.

E estão separados e unidos há 20 anos, desde aquele encontro na Feira de Ciências...




*Uma história verdadeira que vivi/vivo, e que resolvi trazer a tona após ler o livro Um dia que você pode ler a resenha aqui.

Comentários

Roseli disse…
Caramba! Me emocionei até mesmo porque me identifico em muitos pontos.Vinte anos é uma vida mas que bom que mesmo assim tenham um ao outro. mesmo que espaçadamente. É melhor do que nunca ter vivido nada.
Bjs
Cris disse…
Os meus anos continuam passando... e o pulso ainda pulsa. :-(
Maggie May disse…
fiquei arrepiada… a vida passa rapido, e passa lenta, tomara que agora ela os una em corpos, ja que as almas...
Daniel disse…
Letícia, fiquei completamente tocado com sua história, simplesmente porque ela é uma verdadeira história de amor, mesmo que a distância.
Isso é amor.

Daniel
Fernanda Reali disse…
Que emocionante, Letícia! Espero que tu possas sempre te mover em direção do teu amor, beijar e abraçar muito, enquanto as distâncias sao meros quilômetros transponíveis. Amar e ser amado é uma das melhores coisas da vida.

beijoooo
Lily disse…
Agora, terei que comprar o livro... me tocou.

Beijos,

Suzana Guimarães - Lily
Kellen Baesso disse…
Uau, que história!!
Espero que ela tenha um final feliz. ^^
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Vencendo etapas...

Cartas de amor

Olhos de Carvão - Afonso Borges