(Des)pertar...


Se um olhar cativa,
Também pode ferir...

Velhas feridas,
que estavam cicatrizadas,
retomaram aquela cor escarlate...
Ela sempre esperou,
que cada dia seria diferente,
mas não foi....

Intimamente sabia que,
tudo sempre foi dessa forma,
mas aquela infinita esperança,
tola, a fez sonhar...


Despertou-se daquele sonho,
da pior maneira,
com dores,
um verdadeiro empurrão.

Dores essas,
que ela não sabe,
como apagar e esquecer aquele olhar....

Por Tempestade

Comentários

Ingrid disse…
momentos tristes existem, mas passam e vem a alegria a colorir e perfumar!
beijos amiga..

Postagens mais visitadas deste blog

Histórias não (ou mal) contadas: Revoltas, Golpes e Revoluções no Brasil - Rodrigo Trespach

Rubem Alves Essencial : 300 pílulas de sabedoria

Mapa de influências literárias