terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Cores do dia....


O céu se pintou com as cores do inverno em pleno verão, mas o céu pode qualquer coisa, e nos brinda com esse presente.
Levantou-se como em todos os outros dias e olhou pela janela aquele belo espetáculo, melancólica, sentiu falta de um abraço, de um afago em seus cabelos, de um colo. Do toque dele, do perfume, da voz, dos cuidados e carinhos experimentados.
Mas o dia estava apenas começando, e lá ao longe um raio tímido de sol veio brindá-la como se fosse um afago, o que ela tanto precisava.
Ganhou a rua, saiu pelo passeio e ia ao longo da caminhada observando as pessoas que passavam por ela apressadas. Um casal de idosos sorridentes e com seus passos lentos, pois não é preciso ter pressa.
A moça que corria acenando para o ônibus enquanto falava ao celular; o vendedor de pipocas empurrando seu carrinho a procura de um lugar para estacionar e dar início à profusão de cheiros e sons daquele milho na panela.
Uma criança de mãos dadas com sua mãe, apontando para o alto, mostrando qualquer coisa que para ela sempre será gigante, pelo menos enquanto a infância permitir.
E por fim, um casal de namorados com as mãos entrelaçadas e olhares um no outro a cada momento....
A vida vai seguindo com suas cores, cheiros, formas e ritmos próprios, mas a gente também pode imprimir novas cores, novos movimentos e novos sabores à vida.
De volta ao seu cantinho, suspirou, olhou à sua volta e percebeu que a melancolia ainda estava ali, e o silêncio era o seu único companheiro. Fiel ou não! Mas era a única certeza que ela possuía.....

Por Tempestade

3 comentários:

Roberto Ney disse...

Bons ventos me trazem aqui...
Gosto muito desse seu vórtice de sentimentos.

Muitas inspirações em 2011...

Menina no Sotão disse...

Eu gosto do dia e de seus nuances, mas apenas para espiar da minha janela. No mais, eu prefiro que ele se acabe logo mesmo.
Mas sua narrativa quase me fez sentir vontade de ir lá pra fora pintar luz na escuridão. Por sorte passou rápido. rs
bacio

Tatiana Kielberman disse...

Muito lindo, Letícia!

Viajei em suas palavras...

A solidão nos traz, por vezes, novos sonhos inimaginados!

Beijos e Feliz 2011!