Aromas de infância...


E todos os dias quando eu saio da biblioteca, desço a famosa serra que falo no twitter. É a avenida Afonso Pena que corta a cidade desde o centro até o alto da Serra, onde fica o Parque das Mangabeiras e lá de cima se vê o Belo Horizonte.
Sempre tenho que passar por um senhor, já com a idade depois dos seus 50 anos que vende guloseimas, lanches e salgadinhos no pacotinho. E também refrigerantes e laranja descascada.
O que me chamou a atenção e sempre esboço um sorriso ao passar pelo seu carrinho de guloseimas, é que quando eu era criança, meu pai sempre dizia:

"Quando eu me aposentar, vou comprar um descascador de laranjas e vou para a porta das escolas vender."

Esse sonho ele não concretizou, nem o da aposentadoria e nem do descascador de laranjas. Mas todos os dias quando vou para o ponto de ônibus e passo pelo senhor do carrinho de guloseimas, penso em duas coisas: no meu pai, e se esse senhor teve o sonho do descascador de laranjas.

Comentários

A minha infância tem cheiro de cajá!

beijos e borboleteios
Mylla Galvão disse…
Sabe que esse descascador tem história? Qdo eu morei em Brasília, havia mtos ambulantes na rodoviária que tinham esse comércio...
Isso tb me lembra meu pai, mas por outro motivo, ele falava q a casca que saía fininha e em tirinhas, daria belos doces!

Sabe que é verdade?

Feliz Natal!

bjo
Suzana Martins disse…
Que fofo!!! *-*

Quando eu era pequena havia um senhor que vendia laranjas descascadas no ponto de ônibus perto da escola. Todos os dias eu passava por ali e comprava uma, rs...

Laranjas descascadas me lembra a infância, rs..

Beijos
Querida Leticia,

Lindas e inesquecívels lembranças de infância... impagáveis mesmo!

Adorei sua descrição!

Beijos, com carinho!
Mahria disse…
Acredito que todo descascador de laranjas, também foi um sonhador...


Bjs
Mah
VELOSO disse…
Tenho um texto Tributo a Meu Pai em que ele me deu uma grande lição de vida em que tem laranja não tem o descascador mas tem as laranjas bela homenagem minha amigauma linda crônica!

Postagens mais visitadas deste blog

Vencendo etapas...

Cartas de amor

Olhos de Carvão - Afonso Borges