quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Paradoxo temporal...

E um dia mamãe mexendo na sua horta, encontrou uma pedra. E eu sempre por perto, olhando... pois quem disse que eu colocava a mão na terra? Gostava de molhar as plantas depois que ela já tinha ajeitado todo o canteiro e ele estava perfeito.
Foi quando ela estendeu sua mão suja de terra e na palma da sua mão uma pedra. Ela olhou pra mim e me disse: "Toma, tem o formato de um coração."


Eu a peguei ainda suja e vi que era mesmo, um coração, uma rocha, assim como minha mãe. A lavei e guardei comigo, depois disso já me mudei de casa algumas vezes e ela jamais saiu de perto de mim. Pois ela representa um dia especial e outros vindouros quando ela sentada na cama à noite, depois que eu tinha cuidado dela, ela abriu os braços pra mim e disse: "Minha filha, eu te amo."
E essa pedra agora quando eu a vejo eu me lembro dessas histórias, me lembro dela e de tudo que ela me ensinou e que eu disse recentemente aqui.

E nesses três meses de saudades que tem dias que parecem apenas horas que ela se foi, ou momentos que parecem séculos, e também momentos que parece que ela nunca se foi. Paradoxo temporal....

Eu vou guardar pra sempre comigo o coração de rocha firme que ela sempre foi.

Saudades eternas mamãe!

10 comentários:

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Uma vez eu li um livro chamado "Firmado na Rocha". Não, o livro nada tem a ver com o seu post, mas o nome dele tem.
Então, minha amiga querida, que você continue sempre firmada nessa rocha, sobre a qual foi construída sua admiração por sua mãe e onde moram as melhores lembranças que vc tem dela. Rocha essa que simboliza o amor e ligação tão forte que há entre você se sua mamãe.
Linda história.

Continue seguindo em frente... firma o corpo. Na rocha.

Beijo imenso no seu coração.

:)

Nany C. disse...

Eu sempre digo que a saudade só existe quando algo ou alguém se torna importante para nós minha amiga,... E tudo, tudo realmente dura o tempo certo... Tudo tem seu tempo e a vida trabalha para que sejam momentos inesquecíveis, deixando em nós a sua marca!

Esse sentimento cultivado e plantado por ela jamais sairá de dentro do seu coração, suas artérias e alma.
Ela o cultivou como se cultiva a mais rara das flores!

Um Beijo enorme no seu coração!

Vanessa disse...

Letícia , ninguém vai realmente embora enquanto ainda vive dentro de nós.

bjs

C. disse...

Que bom vc tem extraído da essência do que ela deixou, te passou em vida, licoes, experiências, e agora trazido vida afora para sustentar a tua saudade.

O que mais me admira é que na simplicidade delas, passaram grandes licoes, como essa da pedra em formato de coração... uma rocha firme, missão cumprida!

Beijo no coração.

Mylla Galvão disse...

Nossa Lê,
Compartilho de sua saudades... Em Dezembro fará um ano que ela se foi e parece mesmo que foi ontem...
A minha lembrança dela é a alinça de casada... Ela olhou para mim, me reconheceu e disse que era um presente!
Sua mãe como a minha, vive em nossos corações!

bjinhos

Thiago disse...

amor de mãe é eterno!

menina fê disse...

assim vc me faz chorar!

Elaine Gaspareto disse...

Querida, falei com minha mãe agora há pouco e lembrei de você. Ela me disse que quando ela se fosse eu sentiria o quanto faz falta a mãe... ela perdeu a dela há mais de 35 anos e chora até hoje...
Deu medo...
Beijosssss

Amica Philosophiae disse...

Olá, eu gosto muito do seu blog!
E queria te dizer, que tb sinto uma saudade infinita da minha mãe, mesmo tendo passado 25 anos, para mim é como se ela tivesse partido a umas horas atrás. A cada dia sinto falta dela, a cada dia queria tê-la do meu lado...

Compartilho com vc este louco paradoxo temporal.
Um abraço

VELOSO disse...

Acredito que ela nunca se foi e esta presente sempre sinto isso por meu pai! FICA COM DEUS!