sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Páginas....


Será que existem momentos em que é preciso virar a página, mesmo que pareça que não houve um ponto final?

Sentada, olhava pela janela, e os pequeninos flocos de neve anunciavam o inverno que logo chegaria, trazendo consigo o frio, o recolhimentos, momentos de aconchego e também de solidão.

O único som naquele momento era o das gotículas que escorriam pela vidraça, aqueles flocos já derretidos....

Deixou sobre a mesa aquele livro ou seria um diário? Não importa! Nele haviam páginas, várias delas. Algumas preenchidas, outras em branco, umas numeradas, outras amassadas...

Refletiam sempre o seu estado espiritual, as suas vontades, as suas angústias e sobretudo os seus mais secretos desejos. Mas também guardava ali: a esperança, em páginas soltas, deixadas dentro do livro. E por que eram soltas?

A esperança não se prende, ela sempre voa.....

E então? Era hora de virar a página mesmo sem um ponto final?


Por Tempestade


3 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Então o gato disse à Alice
Página virada ?
Deixe de tolice ...
O diário é tua estrada

Cris disse...

Quem sabe nesse estado letárgico é justamente quando pensamos que o ciclo nao terminou, que a página nao virou...

O verão tá chegando, novas paisagens e cores, e estilos diferentes tb! (capisci?) hehe

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Na falta do ponto final e de palavras para terminar o que se está escrevendo, sempre é melhor arrancar a página e começar de novo. Diferente. Melhor.


:)

Beijo grande, minha flor!