sexta-feira, 9 de abril de 2010

Leitura intermitente....



Ler Saramago e sempre se surpreender com a sua escrita e com o desenho das personagens e o enredo em si. Com o livro "As Intermitências da Morte" não foi diferente!
Ao iniciar a história com a frase "No dia seguinte ninguém morreu", o autor inicia o debate que se seguirá sobre morte, vida, tempo e outras angústias próprias da humanidade.
A cada parágrafo e a cada frase e capítulo novas sensações nos são apresentadas e nos perguntamos sempre o que virá a seguir. Mas como estamos falando de Saramago, a cada página é uma nova surpresa.
Em seu diálogo com o leitor, assim como Machado de Assis fazia em sua escrita, Saramago nos leva a interagir e refletir sobre a morte, e tudo que a cerca. O livro é surpreendente, tanto pelo tema tratado, a forma como é escrita e claro o final.
Uma das frases do livro diz muito do que podemos esperar da história de uma cidade em que ninguém morre:

“De Deus e da morte não se tem contado senão histórias, e esta é mais uma delas.”página 146


Mas não será apenas mais uma, o final é extasiante!


Pense em uma cidade onde a morte não mais aparece, o que será de hospitais, cemitérios, casas e todo o restante da sociedade? Há várias leituras possíveis, como a crítica a um sistema hospitalar ou mesmo na questão do ser humano tratar a morte.
Na verdade não ganhamos anos, e sim quando nascemos, vamos debitando de nossa conta, o número de anos que temos na vida.


E a morte no livro sabe bem disso.....

5 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Adoro Saramago ... é sempre uma leitura instigante, seja pela forma, seja pelo conteúdo.

Elcio Tuiribepi disse...

OI Leticia, Saramago é certeza de boa leitura, esta sua pequena contribuição para que entndessemos um pouco da estória já mostra o quanto interessnte é este tema...
Quem dera pudessemos nascer aos cem e assim ir debitando da nossa idade apenas o tempo, conservando o tanto de aprendizados e experi~encias que adquirimos no decorrer da vida...
òtima dica...um abraço na alma um beijo amigo...

Viva. disse...

Saramago sempre me envolve.

:)

Desculpe minha ausência.

Francy´s Oliva disse...

Valeu, a dica de leitura.
Bjs.

Vanessa disse...

Letícia eu tenho uma birra muito séria com Saramago e seus parágrafos longooooooooos demais. Por conta deles comecei o Memorial do Convento e não passei da terceira página. Mas tenho lido sobre os temas que ele aborda e estes me interessam muito. Preciso deixar a birra de lado :-)


Estou aqui hoje para convidar para um novo evento no blog. Desta vez sobre Lewis Carrol e sua Alice.


bjs e bom fim de domingo