domingo, 10 de janeiro de 2010

Reencontros...



Reencontros por vezes são dolorosos, outras vezes tão esperados que dá um frio na espinha, suor nas mãos, taquicardia. Depois de 10 anos ela o reencontrou.

Após tantos e-mails, telefonemas recentes, mas nada especial, apenas trivialidades. E o reencontro? Era para assuntos de trabalho, como o mundo dá voltas, hoje ela tornou-se consultora para que ele inicie um novo negócio. Marcam uma data, hora, e finalmente, irão se rever. Ela pensa se deve aceitar ou não, mas em nome de uma "amizade" antiga aceita e vai ao seu encontro. Combinaram que no meio do caminho ela ligaria avisando que estava chegando e ele a iria buscar.

E no dia marcado lá vai ela, na expectativa de vê-lo após tantos anos, mas era uma expectativa diferente, ver como ele estava depois de tanto tempo, e além de tudo, iria conhecer aquele lugar onde várias cartas suas chegaram há anos atrás.

E eis que enfim, no meio do caminho, já chegando, ela liga, e ele diz que está chegando. No local combinado ela o espera, passa alguns minutos e ele aparece.

Os cabelos já estão grisalhos, o impacto não é mais o mesmo, afinal, anos se passaram e tudo mudou.

O dia passou sem maiores surpresas, afinal, era um encontro de trabalho, mas durante o período em que estiveram juntos, um filme passou pela cabeça dela. Todos os momentos (poucos) que estiveram juntos, as conversas ao telefone, as cartas, e tudo que os cercava.

Ao fim do dia, despediram-se, cada qual para seu lado, com a expectativa de continuarem o trabalho juntos.

O tempo realmente cura as feridas, as mágoas, as decepções, depois de tantos anos foi possível ela perceber e ter certeza de que seu coração não bate mais por ele, mesmo que a situação não tenha ficado resolvida como gostaria, o tempo se encarregou de varrer tudo aquilo com ventos pra longe....

E como antes, tudo iniciou com um pedaço de papel, mas desta vez, esboços de projetos de trabalho....

10 comentários:

myra disse...

minha querida Tempestade, acho otimo!!! imagine que a lista de meus amigos, vcs, se perdeu...uma amiga colocou uma foto no PAROLE, ficou lindo, mas desaparecerema vcs:))) amanha com calma vou tratar de recolocar, beijos,

Katy disse...

Esses amores marcam...deixam uma lembrança de algo belo, que não se viveu totalmente...
Mas, a vida continua...com outras surpresas, alegrias e amores, não é mesmo?
Beijos.

Daniel disse...

Feliz 2010!

Sempre há um filme nesses momentos, mas nem sempre passa do filme para a realidade.

Tem sentimentos que realmente morrem e são enterrados, e às vezes é necessário um encontro desses para perceber isso.

Beijos

Daniel Savio disse...

Não dizem para dar o tempo ao tempo para que tudo se resolva...

Fique com Deus, menina Tempestade.
Um abraço.

Sanzinha disse...

O tempo cura mesmo as mágoas, as feridas e todas as coisas.. mas nunca tira de nós o "e se tivesse sido diferente?".

Beijo! E amanhã tem coisa saindo daqui pra vc. Assim espero... aff.

Beijo, flor!

Lunna Guedes disse...

E o tempo cura? Não sei, mas em alguns casos, ele ajuda a fortalecer sensações, a renovar esperanças, a manter aceso o que talvez a gente tivesse apagado...
Não sei, o tempo agora me diz que é preciso respirar fundo, agitar os lençóis, abrir janelas, espalmar travesseiros e visitar a si mesmo.
Vem comigo? rs Beijos e até mais tarde

Cláudia Oliveira disse...

Ola querida! vim te trazer minha mensagem de ano novo!! Já concluiu o mestrado? Como vão os amores? O tempo esta mais livre? Te desejo um feliz ano de 2010 com novos projetos e muita saúde!! bjokas!! Adorei o novo visual do blog!!

A Madrasta Má disse...

Eu acho que neste o tempo além de band aid, tbém funcionou como um brisa refrescante, será que ficará apenas em esboço?
Bjinhos da Madrasta!

A Madrasta Má disse...

espia a piruka dela!!!!!!! mas eu conheço além dos cachinhos!!!!
Bjinhos da madrasta!

pontorouge disse...

Nada como o tempo - e como as boas lembranças que ele deixa.

beijo rouge

Dani