Melancolia...



E o cair da chuva lá fora com suas gotas cristalinas trazia as lembranças daquele tempo em que o amor era pleno e constante. A vida era simples assim como uma xícara de chá fumegante com bolo de fubá feito em fogão a lenha. As flores do campo com suas múltiplas cores emolduravam aquele céu azul, trazendo paz, calor, felicidade sem fim.
Pequenos gestos, olhares, o toque da mão, um sorriso, aquela música suave ao fundo...
Lembranças de um tempo que se foi, e não volta mais....
Como compreender a solidão?


Seria apenas melancolia de poeta?



Comentários

myra disse…
como te entendo...a solidao é a pior coisa...mas na minha idade, voce nao vai ficar muito tempo na solidao!! tem fé!!!!! e animo, minha querida Tempestade
un grande beijo
Elcio Tuiribepi disse…
A sua narrativa nos leva a um cenário quase bucólico, uma paisagem feita com a enorme grandeza da simplicidade, onde os pequenos gestos, um terno olhar e o toque de mãos faz uma grande diferença...
Não diria melancolia, mas alma de poeta, alma de quem aprecia as coisas boas e simples da vida...
Um abraço na alma...bjo
Katy disse…
As coisas simples são as mais belas e que nos fazem verdadeiramente feliz!
Beijos.
myra disse…
ça va mieux? je l'éspère, bises beaucoup de bises,
Dalva disse…
Me senti parte integrante desse cenário tão bem descrito aqui...

Bjs.
Fernanda disse…
To te achando triste...
e sumida tbm!!!
huahauahauahauahauaa!

Desejo td de bom pra vc!!!

beijinhussssss

feliz 2010!!!!!!!!
=D
Casadinha disse…
Se cuida, minha linda...

Fique bem!

Um grande beijo
Viva. disse…
Senti-me alí.

Postagens mais visitadas deste blog

Vencendo etapas...

Cartas de amor

Olhos de Carvão - Afonso Borges