domingo, 11 de outubro de 2009

Quero...



Quero

Quero que todos os dias do ano
todos os dias da vida
de meia em meia hora
de 5 em 5 minutos
me digas: Eu te amo.

Ouvindo-te dizer: Eu te amo,
creio, no momento, que sou amado.
No momento anterior
e no seguinte,
como sabê-lo?

Quero que me repitas até a exaustão
que me amas que me amas que me amas.
Do contrário evapora-se a amação
pois ao dizer: Eu te amo,
dementes
apagas
teu amor por mim.

Exijo de ti o perene comunicado.
Não exijo senão isto,
isto sempre, isto cada vez mais.
Quero ser amado por e em tua palavra
nem sei de outra maneira a não ser esta
de reconhecer o dom amoroso,
a perfeita maneira de saber-se amado:
amor na raiz da palavra
e na sua emissão,
amor
saltando da língua nacional,
amor
feito som
vibração espacial.

No momento em que não me dizes:
Eu te amo,
inexoravelmente sei
que deixaste de ama-me,
que nunca me amaste antes.

Se não me disseres urgente repetido
Eu te amoamoamoamoamo,
verdade fulminante que acabas de desentranhar,
eu me precipito no caos,
essa coleção de objetos de não-amor.

Carlos Drummond de Andrade

9 comentários:

myra disse...

uma belez, o poeta, quem colocou este poema , a imagem, e voce tambem:)
beijos,

Casadinha disse...

Mais do que ouvir "Eu te amo" eu gosto de sentir que sou amada...E são as atitudes, olhares, gestos que me mostram isso...

Beijos linda

Me permita disse...

Acredita que li esse poema de Drummond ontem?Ele é lindo e reflete um pouco de quando estamos apaixonados! Bjim!

Branca disse...

Já postei esse poema tb! Ele é lindíssimo!!!

Bom domingo e bom feriado pra vc...bjo!

Dalva disse...

Ah... ventos romanticos sopram por este lindo blog hoje... ventos de Drummond! Lindos!


Uma semana de paz!

Bjs.

Camila Mantovani disse...

¡Hola Chica!

Me gustó muchíssimo tu blog!
Vou aparecer mais por aqui :-)

bjim

Elcio Tuiribepi disse...

Ao se combinar gestos e palavras a declaração te amo fica completa, mas, completa mesmo é a poesia do Drumond, que coisa mais bonita de se ler e de sentir...
Excelente escolha...um abraço na alma...bjo

Mahria disse...

Ao primeiro sinal de indiferença, de mudança, eu ja subentendo como começo de desamor. Porque pra mim o amor tem que ser sempre como nos primeiro dias...


P.S
Carlos Drummond foi meu primeiro poeta, amo de paixão.


Bjs
Mah

Sanzinha disse...

Adoro Drummond!
Linda poesia :)