terça-feira, 7 de abril de 2009

Eu pensei...



Eu pensei que você me amava, mesmo do seu jeito, mas que era amor. As suas palavras, os seus gestos, seu toque, o sussuro, a preocupação, seu sorriso, felicidade constante. Mas percebi e pude comprovar que não era amor, mesmo que fosse um amor não convencional, um amor único e exclusivo, o amor que você sentia e demonstrava. Em um tempo tão curto, entre um encontro, um reencontro, a insistência, o aguardo, o tempo, e tantas coisas não foram suficientes para sustentar esse sentimento tão intenso que pra mim era tão latente, pulsante e natural. Esperas são sempre angustiantes e sofridas. Provocam hiatos que muitas vezes não podem ser reatados, recompostos. E assim sinto-me num hiato no qual não haverá nenhuma ponte que poderá nos (re)ligar de forma intensa, verdadeira e constante. Ah, sentimentos mudam como ventanias, trazem tempestades, e muita das vezes nenhuma brisa.

Do céu ao inferno em questão de segundos, dias ou semanas e mesmo assim não tive uma constância e então sinto-me na obrigação de me abster, de renunciar a todo esse conjunto de sentimentos pelos quais passei nos últimos tempos.

Tempos revoltos, tempos de esperança, tempos de alegria, tempos de angústia.

Agora é preciso um tempo de paz, de reflexão...


Letícia Alves
Trilha do momento
Algo por você
Engenheiros do Hawaii

17 comentários:

Eu e a solidão disse...

Ei... saudades de você, e as coisas não estão bem??


Pra mim não andam muito bem não..., mas passa né... quer colinho também??


Beijos!!

BAR DO BARDO disse...

Acabou um amor? Inicie-se outro... Rápido! Feito uma tempestade nunca antes vista.

Borboletas no estômago disse...

Amigaaaaaaaa esse texto, apesar de triste, é tão lindo, tão poético, tão comovente!
Amores q se desfazem nos modificam tanto não é? Fica uma sensação d impotência, d q poderíamos ter feito algo mais. Mas não adianta: o amor é um sentimento composto por duas pessoas e somente uma não adianta de nada.

Vamos em frente! Com o coração partido, mas vamos.

Bjs com afeto

Gilmara disse...

Passando para agradecer a visita la em casa e dizer q é tb a sua casa. Volte qtas vezes quiser. Bjos,

Gil

EU SOU NEGUINHA disse...

Tempestuosa menina..
Beijos a ti
Nega

Olavo disse...

Passando para desejar uma ótima quarta..
Ainda não estou podendo ler os blogs amigos
Minha conexão aqui é ruim...mas volto para ler
Com mais atenção..
Beijão

Nade disse...

Querida,
Adorei o texto!!!
Todas as experiências da vida são válidas para amadurecermos e perdoarmos mais na frente. No momento, temos a tendência em não aceitar a dor, querendo apagar as tristezas, as decepções. Mas o Tempo, senhor do coração e da alma, tranquiliza nossos corações a ponto de olharmos pra trás e ver que Amadurecemos, que Vivemos, que Sofremos e que Superamos, pois somos Fortes!
Uma coisa te digo: Estamos aqui, ok! Eis a força dos AMIGOS!
Bjs, linda!

Visite o Orgulho de Ser
http://nadejane.blogspot.com

Ernani Netto disse...

Vejo um post tão intenso e em seguida um de reflexão...

Gostei mais do intenso que expõe belos sentimentos em versos do que esse que expõe sentimentos mas sem tanta emoção... É somente um,a questão de gosto!

Bjaum

Escritores Unidos disse...

Bom dia Tempestade, obrigada por sua participação, estamos ansiosos pelo seu texto. O textos serão todos publicados no blog http://palavrentaseescrevedores.blogspot.com/

E, ainda, contará com uma surpresa, fique de olho no blog.

Beijos
Aléxia

Ric disse...

Sempre o amor... a nos fazer sorrir e chorar.

Beijo.

Sarah disse...

triste qdo a gente coloca expectativa, esperança, gás em alguem ou numa relaçao e nada sai como planejado... nos sentimos usadas, usurpadas, traídas moralmente...
mas a vida segue, boa sorte e cabeça erguida!

A Madrasta Má disse...

Nossa muito lindo! Texto maravilhoso Tempestade! será que nos enganamos ou fomos enganados... questão do momento para filosofar! bjinhos da Madrasta!

A.S. disse...

Depois de uma tempestade vem a bonança!
Deixa que o vento cesse...
Deixa que o sol amanheça com fulgor...
Deixa que o desejo pulse no teu peito...

Sentirás que tudo pode renascer!!!

Beijos... e Boa Páscoa!

Loira e Morena disse...

Q texto lindo! É triste, mas fala muito coisa nas entrelinhas!

Beijaooo da Morena!

Tataahzinha disse...

E assim sinto-me num hiato no qual não haverá nenhuma ponte que poderá nos (re)ligar de forma intensa, verdadeira e constante

Achei maravilhoso o texto.
Traduz bastante o momento pelo qual vivi durante um bom tempo.
Força!
beeeijinhos

Anônimo disse...

Hmmm... suas palavras foram tão delicadas para dentro de minha alma. Dei passagem e as acolhi. Obrigada. Volto outras vezes. Adorei tudo por aqui! Bjos!!

Luciana disse...

Sabe, Letícia, o tempo me ensinou que as coisas se resolvem com o tempo... é dando um tempo que conseguimos esclarecer as nossas dores, insatisfações, perguntas e até mesmo respostas...
Estou dando esse tempo, e acho que não está sendo tempo perdido.
Adorei o seu texto, é bem sensível e real.
Beijos!