quarta-feira, 1 de abril de 2009

Liberdade...


Liberdade é um substantivo difícil de definir.
No dicionário encontra-se diversas definições, desde o poder de exercer livremente a sua vontade até outro substantivo como ousadia e independência e mais outras tantas.
Mas como dizer que há liberdade se em certos momentos você é julgado sem ter direito à defesa, é criticado mas sem nunca poder falar em seu próprio favor? Isso não é liberdade, continua sendo coerção, e voltamos lá atrás no conceito de confiança. Hoje em dia de nada vale as palavras ditas, não se confie no que você diz, sempre é preciso das provas materiais daquilo que ser quer comprovar. Em tempos da tão propolada modernidade e até para alguns estudiosos a pós-modernidade, a sua palavra meu caro, não vale nada. Só valerá se tiver prova contundente do que diz, e isso quer dizer, materialmente falando ou até quem sabe registro em cartório.
Tudo isso por que o ser humano não confia, e se não confia, não acredita e se não acredita, caminha para os atropelos que uma simples palavra mal falada ou mal escrita pode causar.
E elas causam desde uma simples gota de chuva até uma enorme TEMPESTADE. Para abrandar e dissipar essa TEMPESTADE é preciso novas palavras, mas não as ditas, mas sim, as escritas e lavradas em cartório, pois a confiança e a liberdade...... ah, elas não existem!
E se existem... estão em seres humanos únicos exclusivos, aqueles que tem a mais pura essência da vida. Os mais raros possíveis!
Letícia Alves
Trilha do momento
Pensativa sobre como o ser humano perde tanto tempo com tolices e se aprisiona

8 comentários:

Amiga do Cafa disse...

Li seu post e lembrei-me deste poema que amo de pessoa. Resolvi deixá-lo aqui pra você.


Liberdade....

Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
.
O rio corre bem ou mal
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa...
Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca...


de Fernando Pessoa
in "Obra Poética e em Prosa"

..

Elcio Tuiribepi disse...

Quando a inocência se vai, tudo fica mais dificil, e as palavras dependendo de onde e quando são ditas ou escritas podem fazer estragos...a palavra tem poderes que a gente conhece, algumas magoam, outras ferem, algumas alegram, outras confortam, e assima vida segue, nesse meio acho ue também acabamos fazeno isso com alguém...
Mas tudo passa...um abraço na alma...

Desejos Aliciantes disse...

Linda reflexão...
concordo com vc
as pessoas complicam muito a vida...
Eu procuro viver fugindo disso, e tem dado certo...
Bom dia pra vc
Beijos aliciantes

A Madrasta Má disse...

Que texto lindo querida... realmente difícil definir!!! bjinhos da Madrasta!

Fofa disse...

Fofinha,

Liberdade é igual a poder...
Todo mundo tem, mas poucos sabem fazer o uso correto.

Beijocas

Confissões de Um Ego disse...

OI estou de volta...nao totalmente mas apenas pra dar sinal de vida a vcs e dizer que senti saudades...

Ernani Netto disse...

Vim até aqui por indicação da Madrasta, e gostei do que li!

Eu sou um dos raros que ainda confiam, e algumas vezes quebro a cara com isso... fazer nem tudo é perfeito!

Bjaum

Olavo disse...

Otima postagem excelente mesmo..
estava pensando nisso aqui..o quanto as pessoas não respeitam a liberdade e o direito do outro..
Beijos