Ausência...



Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar seus olhos que são doces...
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres exausto...
No entanto a tua presença é qualquer coisa, como a luz e a vida...
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto...
E em minha voz, a tua voz...


Não te quero ter, pois em meu ser tudo estaria terminado...
Quero só que surjas em mim como a fé
nos desesperados...
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada...
Que ficou em minha carne como uma nódoa do passado...
Eu deixarei...
Tu irás e encostarás tua face em outra face...
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada...
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu...
porque eu fui o grande íntimo da noite...


Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa...
Porque os meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
E eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos
Mas eu te possuirei mais que ninguém, porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar,
do vento,
do céu,
das aves,
das estrelas,
serão a tua voz presente,
tua voz ausente,
a tua voz serenizada.

Vinícius de Morais
Trilha do momento
Coração sempre esperançoso

Comentários

ThalitinhaH disse…
Belas palavras, belas referências...
ótimo blog

Obrigado pelos comentários no meu ^^

Beijão
Ricardo Duarte disse…
Em homenagem ao título da postagem, um poema de Drummond:

Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.


Beijos
A.S. disse…
Um belissimo texto... que desperta sensações intensas!


Beijos...
Nade disse…
Lindo texto! Que referência!
Outra coisa: ontem foi o Dia do Blogueiro, mas eu estava ausente da blogosfera por causa dos compromissos do dia-a-dia e, por isso, não passei pra te dar os parabéns...
Posso dar hoje, então? Parabéns, minha querida! Que continuemos lendo os blogs um dos outros por muitos e muitos anos! Que continuemos tendo mais e mais inspiração para continuarmos escrevendo!
Que Deus te abençoe!
Bjs e bom fim de semana!
Roberta.rj disse…
Adorei o texto...
Ausencia é a falta de algo que na verdade nunca esteve lá...
Um beijo e um lindo fds pra ti!!!
ROBERTA
o casalqseama* disse…
admiro tua postura e decisão!

lê, linda,
obrigada pelo selo!

bjão da fê =D
Sarah disse…
Lê!
poxa, mto lindo o texto!
Ausencia, falta, saudade, sao sinonimos e complementares pra mim... to nessa tb, espero q tdo se resolva tanto pra mim qto pra vc!
prefiro acreditar q tdo sempre termina bem!
Bjao e bom findi.
BAR DO BARDO disse…
todo ponto de partida é também de chegada...
Vato!!! disse…
Nossa, eu amo este Poema, me toca muito, e é muito lindo!!! Ouvi-o pela primeira vez em um documentário chamado Pro Dia Nascer Feliz, que seria uma perfeita indicação pra todos. Muito bom mesmo!!!
Bjos

Postagens mais visitadas deste blog

Vencendo etapas...

Cartas de amor

Olhos de Carvão - Afonso Borges