sábado, 21 de março de 2009

Ausência...



Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar seus olhos que são doces...
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres exausto...
No entanto a tua presença é qualquer coisa, como a luz e a vida...
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto...
E em minha voz, a tua voz...


Não te quero ter, pois em meu ser tudo estaria terminado...
Quero só que surjas em mim como a fé
nos desesperados...
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada...
Que ficou em minha carne como uma nódoa do passado...
Eu deixarei...
Tu irás e encostarás tua face em outra face...
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada...
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu...
porque eu fui o grande íntimo da noite...


Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa...
Porque os meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
E eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos
Mas eu te possuirei mais que ninguém, porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar,
do vento,
do céu,
das aves,
das estrelas,
serão a tua voz presente,
tua voz ausente,
a tua voz serenizada.

Vinícius de Morais
Trilha do momento
Coração sempre esperançoso

9 comentários:

ThalitinhaH disse...

Belas palavras, belas referências...
ótimo blog

Obrigado pelos comentários no meu ^^

Beijão

Ricardo Duarte disse...

Em homenagem ao título da postagem, um poema de Drummond:

Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.


Beijos

A.S. disse...

Um belissimo texto... que desperta sensações intensas!


Beijos...

Nade disse...

Lindo texto! Que referência!
Outra coisa: ontem foi o Dia do Blogueiro, mas eu estava ausente da blogosfera por causa dos compromissos do dia-a-dia e, por isso, não passei pra te dar os parabéns...
Posso dar hoje, então? Parabéns, minha querida! Que continuemos lendo os blogs um dos outros por muitos e muitos anos! Que continuemos tendo mais e mais inspiração para continuarmos escrevendo!
Que Deus te abençoe!
Bjs e bom fim de semana!

Roberta.rj disse...

Adorei o texto...
Ausencia é a falta de algo que na verdade nunca esteve lá...
Um beijo e um lindo fds pra ti!!!
ROBERTA

o casalqseama* disse...

admiro tua postura e decisão!

lê, linda,
obrigada pelo selo!

bjão da fê =D

Sarah disse...

Lê!
poxa, mto lindo o texto!
Ausencia, falta, saudade, sao sinonimos e complementares pra mim... to nessa tb, espero q tdo se resolva tanto pra mim qto pra vc!
prefiro acreditar q tdo sempre termina bem!
Bjao e bom findi.

BAR DO BARDO disse...

todo ponto de partida é também de chegada...

Vato!!! disse...

Nossa, eu amo este Poema, me toca muito, e é muito lindo!!! Ouvi-o pela primeira vez em um documentário chamado Pro Dia Nascer Feliz, que seria uma perfeita indicação pra todos. Muito bom mesmo!!!
Bjos