sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Fim do dia e fim do mês

Fim do dia de ontem e final do mês, enfim, Julho terminou.


E eu tinha duas opções televisivas, digamos..

A primeira assistir ao debate com os candidatos a prefeitura de BH (figuras carimbadas) ou sapear canais em busca de um filme, um documentário, etc e tal.

Mudando mudando de canal encontrei um filme despretensioso e divertido.... Quero ficar com Polly.

Está certo que o filme é de 2004, mas eu lá tinha tempo pra ficar vendo filmes naquela época em pleno fim de faculdade e busca de um lugar ao sol? Agora não que eu tenha menos tempo, mas sei priorizar as coisas hehehehe

Aí vai a dica!


Quero Ficar Com Polly


Título Original: Along Came Polly
Gênero: Comédia
Origem/Ano: EUA/2004
Duração: 90 min
Direção: John Hamburg


Elenco:
Ben Stiller...

Jennifer Aniston...

Philip S. Hoffman...

Debra Messing...

Mark Adair-Rios...

Alec Baldwin...

Christine Barger...

Toni Blair...

Bryan Brown...

Edward Conna...

Nathan Dean...

Sonya Didenko...

Bob Dishy...

James DuMont...

James P. Engel...

Jsu Garcia...

Amy Hohn...

Michele Lee...

Masi Oka...

Missi Pyle...


Sinopse


Reuben Feffer conseguiu construir uma vida e uma carreira sólidas optando sempre pelo certo em vez do incerto. Assessor de uma companhia de seguros líder no mercado, ele é perito em minimizar danos: sem risco, sem perda. Polly Prince vive a vida como um jogo de azar, se divertindo com tudo o que o acaso lhe apresenta. Há sempre uma nova oportunidade, um novo trabalho e até um outro apartamento em outra cidade caso não consiga ficar com esse. Nada de se preocupar com o futuro.Recém-trocado pela recente esposa, Reuben decide ceder ao destino ao menos uma vez, achando que este pode estar ao seu lado, ao encontrar Polly numa festa. Ela pode ser a chave para o assessor voltar a dar rumo a sua vida. É atraente, original, engraçada e, afinal de contas, eles se conhecem desde a sétima série da escola.Será que uma pessoa pode mudar tanto? Bem, provavelmente Polly não tinha tatuagem, não era fanática por comida picante nem por dançar salsa e muito menos por colecionar lembranças de ex-namorados, como o ferret quase cego que adotou na Itália. E Reuben também não deveria ter essa tendência de planejar tudo em sua vida nem a compulsão por uma existência totalmente equilibrada. Mas mesmo se equilibrando, Reuben descobre que há espaço para comidas indigestas, histórias infantis assustadoras e animais de estimação problemáticos. A vida é um risco, bem como o amor - em se tratando de estar ao lado de Polly. E alguém podia esperar menos que isso?


Uma cena do filme





Um comentário:

Kassandra Viana disse...

Caraca! Adoro esse filme... Na hora que ele vai ao banheiro e usa a toalhinha que a vó dela bordou eu passo mal de tanto rir! Vou ver novamente, valeu por ter me lembrado, beijão!