quarta-feira, 11 de junho de 2008

Limite


Leio muito e ás vezes me perco nas leituras para citar alguém...


Mas é uma perda saudável, visto que não importa "decorar" de onde li, mas identificar-se com o texto, absorver a sua essência, entendê-lo, vivê-lo..



E é por esses caminhos e descaminhos de leituras que me deparei com o Limite Branco do Caio Fernando Abreu. Nunca li nada desse autor, mas um trecho (que não sei onde li), me fez pensar....



Transcrevo a seguir:



'Então, de repente, sem pretender, respirou fundo e pensou que era bom viver.


Mesmo que as partidas doessem, e que a cada dia fosse necessário adotar


uma nova maneira de agir e de pensar,


descobrindo-a inútil no dia seguinte - mesmo assim era bom viver.


Não era fácil, nem agradável. Mas ainda assim era bom.


Tinha quase certeza'.


Limite Branco - Caio Fernando Abreu


Em resumo: é muito bom viver!



2 comentários:

Anônimo disse...

Gostei. Passando por aqui pra dizer alô! Ladyce

nós todos lemos disse...

Boa noite!
Interessante a colocação do autor Caio, entretanto, simplória. Sou mais otimista para a vida, que é simplesmente maravilhosa.
O sol nasce para todos igualmente e cada manhã é um ensinamento, seja ele um dia de sol, chuva ou tempestade.
Presença constante Divina!
Felicidades, Letícia,
Amei tua página, cheia de luz, simpliscidade e sabedoria!
Lígia.