sexta-feira, 25 de abril de 2008

Sem palavras....


Depois de uns dias de ausência estou de volta...

Esse hiato não foi proposital, apenas aconteceu...

O que reflete meu estado de alma, um hiato por várias questões.

E para ilustrar esse momento, creio que um pequeno poema de Lya Luft na abertura do livro "O silêncio dos amantes" diz bastante sobre o não dizer. Eis...


Sem palavras


A vida inteira busquei

explicações e deciframentos:

encontrei silêncio e segredo,

às vezes o conforto de um ombro,

outras vezes dor.



No último lapso

de um tempo sem limites

-embora a gente o queira compor

em fragmentos - ,

abriram-se as águas

e entrei onde sempre estivera.

Tudo compreendido

e absolvido,

absorta eu me tornei

luz sem sombra:

assombro.


Lya Luft, in. O silêncio dos amantes, Ed.Record, 2008. p.9

Nenhum comentário: