sábado, 15 de março de 2014

Divagações...

Foto: Internet
Eu não tenho sido um bom ser humano,
Sinto que tenho falhado nas mínimas coisas, detalhes da vida.
Detalhes por vezes cruciais.

Ser aquela criança introvertida, quieta, silenciosa, praticamente invisível, não me ajudou.

A vida foi passando e os anos me endureceram, criando ao meu redor um escudo quase intransponível.
Algo que fugiu ao meu controle, deixando marcas e muitas feridas.
Essas últimas inomináveis e até incontáveis.

Se o tempo cura, eu não sei, elas ainda doem.
Uns dias mais, outros dias menos.

Culpas, tristezas, dores sem fim que me levam à beira do precipício. Quase à porta da insanidade.

Não sei quais serão os próximos passos, mas vivo à beira da loucura...


Por Letícia Alves

sexta-feira, 14 de março de 2014

14 de Março - Dia Nacional da poesia

E para comemorar o dia da poesia, deixo uma da Florbela Espanca, que eu gosto muito.



Foto: Juvio ER Oliveira


Amar!

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente 
Amar! Amar! E não amar ninguém! 

Recordar? Esquecer? Indiferente!... 
Prender ou desprender? É mal? É bem? 
Quem disser que se pode amar alguém 
Durante a vida inteira é porque mente! 
Há uma Primavera em cada vida: 
É preciso cantá-la assim florida, 
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar! 

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada 
Que seja a minha noite uma alvorada, 
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca