domingo, 24 de novembro de 2013

O que é o sonho...

Foto: Juvio ER Oliveira

Pensar não traz atividade,
Não traz frutos,
Não traz paz.

Mas sempre há em algum lugar de mim, uma vontade imensa de sair por aí.
Saltitando,
Gritando,
Quiçá dançando.

Pensar não me fará realizar,
Mas pelo menos, me fará sonhar.

E o que é o sonho?

Uma realidade deslocada do futuro?
Uma vontade imensa de realizar?

Ah, eu não sei,
Mas sei que sempre haverá em algum lugar dentro de mim, o insano desejo de felicidade.



Por Letícia Alves 

domingo, 17 de novembro de 2013

Falando ao mundo...



Foto: Juvio ER Oliveira

De uma cidade qualquer, numa data qualquer, em um ano qualquer



Olá, Mundo!


Tudo bem?

De uns tempos para cá, ando meio cismada em lhe escrever. Pois o barulho da humanidade tem me deixado atordoada e meus pensamentos desconexos. Não sei muito bem, como você irá receber minhas linhas. Mas mesmo assim, resolvi escrever, faz tempo que não nos falamos.

Queria te dizer que sinto falta do aroma das manhãs frias, e o cheiro do café que acabou de ser coado. Sinto falta também das gargalhadas pela manhã e os passarinhos que passavam em revoada.

O barulho que hoje escuto, não se parece em nada com a melodia que há tempos não tenho o prazer de ouvir. 

As cores então... Ah, as cores... de repente sumiram. Tudo anda tão cinza e silencioso, e paradoxalmente, barulhento.

Sabe, Mundo, eu fico a pensar, se um dia, tudo vai voltar a ser como antes: passarinhos em revoada, cores vibrantes, uma brisa tão boa, o aroma do café acabado de ser coado, e claro, as gargalhadas pela manhã.

Bom, eu acho que não! Tudo isso vi ficar na minha memória para sempre, como algo bom, imutável, apenas para mim.

Mas eu não poderia deixar de lhe escrever, para que você soubesse o quanto me sinto triste e saudosa de tudo isso.

Sorte para nós!

Com carinho,


Letícia Alves


domingo, 10 de novembro de 2013

Frias noites...

Foto: Juvio ER Oliveira

Nas frias noites de inverno, meu corpo tremia.

Era um tremor diferente, algo inusitado, não era medo, não era ansiedade, mas uma emoção completamente diferente.

Abri os olhos e mirei a janela que estava entreaberta. As cortinas dançavam embaladas pela brisa noturna.

De repente, uma vontade de buscar pela escuridão lá fora, brotou em mim.
Não, eu não tenho medo do escuro. Mesmo quando era criança, a escuridão nunca me apavorou, pelo contrário, me fascinava.

Pois por detrás daquela janela, eu ganharia o mundo, era como se a liberdade me espreitasse por trás daquela cortina esvoaçante.

Minha mente começou então a fantasiar, campos verdes, mananciais de águas límpidas, e então o paraíso me encontrou. Quando dei por mim, acordei, e entre nuvens e devaneios, encontrava-se ainda deitada, refletindo sobre a vida.


Noites nunca mais serão as mesmas, nessa inconstância de caminhos & (des)caminhos, mas sempre me lembrei daquelas noites frias e brancas...



Por Letícia Alves 

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Turnê Literária em Belo Horizonte

Olá, queridos amigos e leitores do blog.

Hoje venho lembrar a vocês da Turnê Literária que estará em Belo Horizonte no próximo dia 16 de Novembro de 2013.

Abaixo o flyer de divulgação.

Vamos prestigiar os novos talentos da literatura nacional!






Por Letícia Alves