segunda-feira, 20 de maio de 2013

Meus pensamentos...




Seus olhos me conquistaram, pois eles sorriram pra mim, e me mostraram a sinceridade e o amor que eu tanto queria.

Olhar você dormindo, me traz uma paz inominável, seu rosto de menino, nesse corpo de homem, me aquece a alma, e o coração.

Eu nunca imaginei, nem pensava que eu pudesse sentir assim, tanta falta de alguém. O meu alguém, não importa se outras pessoas, se o mundo lá fora pensa que você não é alguém. O que importa é o meu mundo, o nosso mundo, o meu alguém que veio para ficar.

Meu coração não se enganou, e assim, a cada dia que passa, a certeza vai se instalando nesse coração de menina-mulher, que com todos seus medos, dúvidas, angústias, e tantos outros sentimentos, tem se permitido viver fora do castelo de anos a fio construído.

Castelo esse construído com lágrimas, tristezas, decepções, e um batalhão de sentimentos destrutivos que trouxeram a ela uma muralha até então intransponível.

De repente, não mais que de repente, alguém chegou assim, de mansinho, com seu carisma, carinho, amizade, dedicação, e principalmente, respeito e caráter, e demoliu o primeiro tijolo.

A menina ainda tem um pouco de medo, pensa muito, mas hoje já sente saudades, traz consigo, dentro do peito, um pouco dele. É, aquele homem de aparência forte, mas que ao adormecer e se aninhar em seu colo é um menino.

E então eu peço que não nos percamos, e que não deixemos morrer esse menino, essa menina.

Medos sempre existirão, mas vamos nos permitir...


Por Letícia 
Alves



Flávio Venturini - Todo Azul do Mar

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Tempos e Medos...


O medo em nossa vida é algo natural, uma proteção contra ameaças, mesmo que elas não existam.

É um sentimento que barra nossas emoções, nossas atitudes, e o nosso ser como um todo. Mecanismo de defesa que por vezes nos trava, nos absorve e nos impede de seguir adiante. Mas, de repente, você se vê, indefeso, fraco, e sem amarras nenhuma, será que o medo se foi?

Não.

Ele apenas se diluiu um pouco, ficou brando, quase transparente, mas ainda está ali. Ah, o tempo... o tempo auxilia nessa fluidez bem-vinda de novas sensações, aromas, cores, sonhos e pensamentos novos.

Conselheiro, amigo e dependendo do caso, pode tornar-se um inimigo, o tempo cura feridas, mostra caminhos, amplia horizontes.

E assim, o medo torna-se um pouco mais fraco e menor perto dele...

Sr. Tempo, enfim, te agradeço.


Por Letícia Alves

quinta-feira, 2 de maio de 2013

(En)(solar)ado...


O dia amanheceu ensolarado,
Após uma noite de lua linda e de estrelas sorrindo para nós.
Os dias tem outras cores e aromas...
Descobertas a cada momento...
Risos e mãos dadas...

Felicidade assim, de graça...
Alma leve...
Sorriso estampado no rosto.

Um corpo rejuvenescido,
Com a alegria da alma,
E do brilho no olhar.


Felicidade existe sim.
Por Letícia Alves


quarta-feira, 1 de maio de 2013

Maio...

Le muguet blanc

Bienvenue, Mai!

A foto do lírio branco é o símbolo da Festa do Trabalho na França, e a escolhi para homenagear o início de um novo mês. E um recomeço para todos nós.

Que seja um mês de lutas, mas de vitórias. De sorrisos, abraços, amores, paz, felicidades e amizade.


Por Letícia Alves