quarta-feira, 29 de junho de 2011

Saint-Exupéry


E lá no dia 29 de Junho de 1900 nascia Antoine-Jean-Baptiste-Marie-Roger Foscolombe de Saint-Exupéry, ou como nós o conhecemos, o autor do Pequeno Príncipe.
Quem nunca leu o livro, deveria!
Não, não é o livro da miss, um pecado mortal que cometeram com essa obra.
Todo estudante de francês - assim como eu ainda sou - já estudou esse belíssimo clássico e seu autor.
Fui ler O Pequeno Príncipe já adulta, lá pelos idos dos meus 24/26 anos, emprestado de uma amiga, e foi aí que tive a certeza que as misses não entendiam nada do que estava falando, e que a história do Pequenino Príncipe e seu planeta eram bem maiores.
Comprei a versão em francês e depois outra obra, Cartas a uma desconhecida, e foi aí definitivamente que me apaixonei mais ainda pelo Príncipe.

Saint-Exupéry me cativou, morreu jovem, e escreveu poucas obras, mas a magia das suas palavras sempre encantarão pessoas ao redor do mundo.

"Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, pois cada pessoa é única e nenhuma substitui outra. Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, mas não vai só nem nos deixa sós. Leva um pouco de nós mesmos, deixa um pouco de si mesmo. Há os que levam muito, mas há os que não levam nada. Essa é a maior responsabilidade de nossa vida, e a prova de que duas almas não se encontram ao acaso."

Saint-Exupéry 

domingo, 26 de junho de 2011

Silêncios...




O mundo anda barulhento demais?
Ou sou eu que estou silenciosa?

Pensando.....

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Pensamentos e questionamentos....


E as noites são o meu encontro com a escrita.
O dia já foi, vivi, revivi várias coisas, pedaços de mim.
O dia de hoje se levantou com cores e temperatura de um verão amigo e convidativo, mas é inverno, ao menos no calendário cá do hemisfério sul.
Preguiçosamente, peguei-me novamente em devaneios e questionamentos sem fim. Simplesmente não há respostas, apenas mais e novas inquietações.
Não li nada de interessante! Bem, é um pouco falso, li as linhas de outrem que povoam os céus da internet, nesse mar de letras.
Os livros me circundam, mas não é hora ainda de abri-los e revelá-los para mim.
Eu ainda creio que tudo tem seu tempo e hora. Posso estar errada, mas é isso que me conforta e traz um pouco de esperança.
Esperança perdida nos devaneios passados e nos lugares atuais.
E o que será de mim?
Ah, sabe-se lá o que....
A única certeza é que eu posso por vezes transpor sentimentos e emoções e descrevê-las pelas minhas letras imperfeitas.
Sim, a imperfeição traz certo conforto para a humanidade que existe em cada um de nós.
Vou-me agora. Recolho-me com meus pensamentos e deito-me à espera de um novo dia que vai raiar.

Por Letícia Alves 

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Pensando....


É, eu sempre me lembro de uma frase que minha professora falava: "O inferno são os outros." Sartre.
E cada dia eu me convenço mais dessa frase, claro, que não sou santa, ninguém é, mas os outros sempre tentam nos colocar a culpa de suas imperfeições e conflitos internos.
Então é melhor que cada um se analise antes de sair por aí esbravejando aos quatro cantos que é mais uma vez vítima do destino, ah, mas não é mesmo.
Tem coisas meu caro que é de caráter mesmo.


Devaneios de um dia de inverno!

domingo, 19 de junho de 2011

Imagens....

Hoje vou postar uma brincadeira que a Cris me convidou.
A regra é linkar o blog, publicar 10 fotos das coisas que mais gosta, e indicar 10 outros blogs.

Então vamos lá!


Bala Chita


Abraços



Filme Chinês - Goemon


Estantes de livros


Se eu fosse uma pinup


Mestre Jedi Obi-wan-kenobi


Scrat - A era do Gelo

Saphira - Eragon

O amanhecer - foto da minha janela em 01/02/11

Ler



Não vou indicar os 10 blogs mas deixo a vontade pra quem quiser fazer a brincadeira e deixar o link aqui nos comentários para que eu conheça as suas 10 fotos.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Amar.....

 
 “Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?” 
 
Fernando Pessoa

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Descobertas (Final)



E foi mágico,
Indescritível,
Apenas sentido,
Vivido,
Plenamente.




Tínhamos nossos perfumes,
Nossos toques,
Músicas....




As músicas dele eram Dona e Meu universo é você,
E as minhas músicas eram Tímida e Meu universo é você
Trilha sonora,
Que encantava,
E falava por nós.






E um hiato se fez,
Novas tentativas,
Espaços,
Retornos....


E muitas reticências..............................................






Uma nova tentativa,
Ansiedade,
Surpresa,
Espera,
Uma pergunta foi feita,
Mas a resposta.......
Ela nunca chegou.






                    (Fim da história)

quarta-feira, 8 de junho de 2011

O tempo....



É, e nessas minhas leituras não tão literárias por enquanto, eu vejo que há literatura na ciência.




"O céu é a régua; sob e entre os astros a história humana ganha uma numeração."
José Reis




Isso que dá procurar estudar coisas sobre o tempo, a história e por aí vai.
Mas tem sido uma experiência interessante!
Coisas novas são sempre apaixonantes.....

domingo, 5 de junho de 2011

Descobertas ...... (III)



E o dia chegou,
Ele com seu olhar marcante,
Suas mãos macias e fortes,
Seu abraço confortante,
Seu beijo quente e doce.




Não, não era um sonho,
Era real,
Físico, mas emocional,
Terno, mas forte,
Enfim, éramos nós.




Foram poucas horas,
Suficientes para parecerem dias,
Como se sempre estivéssemos juntos,
E que foi apenas um reencontro.




O perfume dele ficou em mim,
Seu carinho, atenção, cuidados...
Dedicação de um amor.
Seria?




(última parte em breve.....)