domingo, 28 de novembro de 2010

Avatar....


Avatar é daqueles filmes que praticamente todo mundo já assistiu à época da estréia e eu não. Passada a febre, a intensa movimentação dos cinemas naquele momento, hoje no sossego da minha casa assisti ao filme e resolvi falar um pouco das minhas impressões sobre (sei que muito já se escreveu ou falou sobre isso, mas cada visão será sempre única).

Comportamentos que seriam básicos do ser humano, como: respeito, tolerância, companheirismo, solidariedade, nos são mostrados no filme, que vai muito além, da conscientização ecológica.

A máxima que eu sempre digo, que "se cada um cuidar da própria vida e do seu espaço, o mundo seria bem melhor", é mais do que válido e demonstrado no filme.

A ganância, a falta de ética, respeito ao diferente, traição e muitas outras coisas estão claramente estampadas no argumento do diretor para o desenrolar de toda a história. 

Então devemos pensar que além da questão da preservação do meio ambiente, preservar as relações humanas é um dos segredos para a felicidade e harmonia tão desejadas e apregoadas aos quatro ventos.

Quem não viu o filme, eu recomendo!




sábado, 27 de novembro de 2010

Soneto...



Soneto


Pela minha vida, 
Sem suspiro, via uma dor sombria.
Dos meus sonhos, a florescência pura
É a bênção de meu mais tranquilo dia.




Às vezes cruza a trilha que acompanho
A grande questão. Sigo assim, frio, 
Pequeno, como à margem de um rio
Do qual não ouso medir o tamanho.




Então me vem um lamento, um torpor
Cinza como, nas noites de verão,
Céus em que raro uma estrela se acende,




Minhas mãos tateiam por amor,
Porque gostaria de fazer uma oração
Mas ela escapa à minha boca quente...


(Franz Kappus)


*poema se encontra no livro Cartas a um jovem poeta - Rainer, eu falei um pouquinho dele aqui.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

domingo, 21 de novembro de 2010

Vivre...



Ne pas être sinon un apprenti
D'une oeuvre imaginaire.....*


Waldemar German



*Viver
Não ser mais que aprendiz
De um ofício imaginário....

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Clareza...


Segundo o dicionário, o substantivo clareza significa:

cla.re.za
sf (claro+eza) 1 Qualidade do que é claro ou inteligível. 2 Qualidade do que se percebe bem. 3 Limpidez, transparência. 4 Bom timbre. Antôns (acepções 1 e 2): obscuridade, confusão. Para clareza: para que conste por escrito e produza os devidos efeitos: Para clareza, firmamos este recibo.

Bem, é o mínimo que podemos esperar das pessoas e de situações, pois assim o mundo caminharia bem melhor e logicamente as relações humanas também. Principalmente quando somos sinceros, francos e claros nas nossas atitudes. 
Respeito também é ótimo!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Conselhos....





'Seus conselhos. Mas existe um grande, o maior obstáculo para eu ir adiante: eu mesma. Tenho sido a maior dificuldade no meu caminho. É com enorme esforço que consigo me sobrepor a mim mesma. [...] Sou um monte intransponível no meu próprio caminho. Mas às vezes por uma palavra tua, ou por uma palavra lida, de repente tudo se esclarece.'


Clarice Lispector

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Window To My Heart....



Through your eyes
There's a window that goes to my heart
I can see me still loving you
The rest of my life
Look inside, look inside
To the window that goes to my heart

Jon Secada

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Desapego...


Grande parte das pessoas não acredita em previsão de horóscopo (inclusive eu...rs...), mas costumamos acreditar quando a astrologia fala coisas boas.
Bem, hoje no Twitter (sim eu tenho um perfil,assim como em outras redes sociais), eu sigo um perfil de horóscopo (sim, caiu por terra a questão de não acreditar, mas não sei por que e não vem ao caso agora rs...), e foi postado a frase a seguir:


#Aquário: Tenha a coragem de se desapegar e de perceber que o mais importante é o que ocorre interiormente.

E não é que caiu como uma luva?
Tudo bem que já sou desapegada há várias coisas (principalmente materiais), mas tem horas que é preciso desapegar de sentimentos, pessoas, situações, e por aí vai. Pois corre-se o risco de sofrer e sofrer, e se machucar.

Então, é hora de rever algumas coisas e desapegar.

E você? é desapegado (a)?

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Paradoxo temporal...

E um dia mamãe mexendo na sua horta, encontrou uma pedra. E eu sempre por perto, olhando... pois quem disse que eu colocava a mão na terra? Gostava de molhar as plantas depois que ela já tinha ajeitado todo o canteiro e ele estava perfeito.
Foi quando ela estendeu sua mão suja de terra e na palma da sua mão uma pedra. Ela olhou pra mim e me disse: "Toma, tem o formato de um coração."


Eu a peguei ainda suja e vi que era mesmo, um coração, uma rocha, assim como minha mãe. A lavei e guardei comigo, depois disso já me mudei de casa algumas vezes e ela jamais saiu de perto de mim. Pois ela representa um dia especial e outros vindouros quando ela sentada na cama à noite, depois que eu tinha cuidado dela, ela abriu os braços pra mim e disse: "Minha filha, eu te amo."
E essa pedra agora quando eu a vejo eu me lembro dessas histórias, me lembro dela e de tudo que ela me ensinou e que eu disse recentemente aqui.

E nesses três meses de saudades que tem dias que parecem apenas horas que ela se foi, ou momentos que parecem séculos, e também momentos que parece que ela nunca se foi. Paradoxo temporal....

Eu vou guardar pra sempre comigo o coração de rocha firme que ela sempre foi.

Saudades eternas mamãe!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Sim, ela pensava....



Sim,
Ela pensava que
Era verdade,


As mãos que a tocaram,
Os lábios que a beijaram,
O coração que bateu forte junto ao seu.


Sim, 
Ela pensava que,
Era verdade,


O sussurro no ouvido,
O riso incomedido,
O abraço fortalecido.


Sim,
Ela pensava que,
Era verdade,


O suspiro,
A atenção em ouvi-la,
A vontade de estar junto,
Culminado em um abraço,
Que dispersou distâncias,
Fortaleceu certezas,
Amenizou tristezas.


Sim, 
Ela pensava,
Que era verdade......




Por Letícia Alves